Olhar Jurídico

Domingo, 17 de janeiro de 2021

Notícias / Eleitoral

Justiça concede 18 minutos para Abílio Junior responder sobre acusação de desvios

Da Redação - Arthur Santos da Silva

27 Nov 2020 - 15:19

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça concede 18 minutos para Abílio Junior responder sobre acusação de desvios
O juiz Geraldo Fidelis, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, concedeu total de 18 minutos de direito de resposta ao candidato Abílio Junior (Podemos) em consequência de propaganda veiculadas por Emanuel Pinheiro (MDB), gestor em busca de reeleição. Conforme decisão, serão cinco propagandas (de um minuto cada) na TV, mais 13 propagandas (de um minuto cada) em rádios.
 
Leia também 
STF adia julgamento de processo de 21 anos sobre cobrança de ICMS sobre softwares em MT


Direito de resposta foi concedido levando em conta peça publicitária que trazia personagem com a seguinte denúncia: “eu trabalhei muito tempo na igreja Grande Templo como motorista, recebia ordens diretamente do Abílio, e muito delas era para levar materiais que eram comprados na Todimo, para uma mansão, uma casa grande que ele tinha lá no Jardim Califórnia. Os materiais era para Igreja e ele pedia pra levar pra lá e deixar na casa”. Na mesma propaganda, locutor comenta: “isso é corrupção! Se Abílio fez na Igreja, imagina na prefeitura”.
 
Conforme decisão de Fidelis, o vídeo aponta elementos que levem à conclusão da veracidade da informação, posto que, junto à fala do denunciante, são apresentadas notas fiscais aleatórias e a informação de que as palmeiras existentes na residência do representante são as mesmas daquelas contidas em uma das igrejas Assembleia de Deus.
 
“Ora, tal evidência não aponta qualquer elemento de prova, já que plantar as conhecidas palmeiras imperiais não é algo incomuns nos quintais das casas, praças, jardins e outros logradouros públicos de nossa cidade”, ponderou o magistrado.
 
Em sua decisão, Fidelis esclareceu que no espaço reservado ao programa eleitoral, foi massificada propaganda depreciativa e pejorativa em face de Abílio Junior. “Desse modo, há de se aplicar a normativa à suma fática e, por conseguinte, reconhecer a situação merecedora de direito de resposta, no tempo de um minuto, para cada inserção impugnada”.
 
Ao conceder os 18 minutos, o magistrado salientou que a resposta deve se referir às afirmações veiculadas no material de Emanuel.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet