Olhar Jurídico

Segunda-feira, 06 de dezembro de 2021

Notícias | Civil

APÓS MORTES

Disputa pela administração da Igreja Assembleia de Deus vai parar na Justiça

14 Jul 2020 - 11:05

Da Redação - Fabiana Mendes e Vinicius Mendes

Foto: Reprodução

Disputa pela administração da Igreja Assembleia de Deus vai parar na Justiça
Com a morte dos pastores Sebastião Rodrigues e seu filho Rubens Ciro, presidente e vice da Convenção Estadual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus (Comademat), respectivamente, iniciou-se uma disputa pela liderança. A situação foi parar na Justiça e uma liminar pede que o pastor Enesio Barreto Rondon assuma o cargo de administrador provisório até que transcorra todos os trâmites internos e demais formalidades legais.

Leia mais:
Último adeus a pastor Sebastião tem cortejo pela cidade, cemitério lotado, homenagens e mensagem de Bolsonaro; fotos

Conforme apurado por Olhar Jurídico, a disputa seria entre a cúpula do Estado, formada por 12 pastores de diferentes municípios que compõem a Diretoria Estadual da Igreja. Eles querem que o filho do pastor Sebastião assuma o cargo. De outro, pastores de Cuiabá que não aceitam e alegam que ele não preenche os requisitos básicos ligados a doutrina da Igreja, para um líder religioso.

Com isso, o tesoureiro Gutemberg Brito Junior entrou com pedido na Justiça para que o pastor Enesio assumisse a administração. No pedido, é argumentado que a atual conjuntura do país exige que sejam tomadas várias medidas, de forma até mesmo urgente, para que os negócios sociais não sofram de maneira irreparável, o que, em último caso, poderá impossibilitar a continuidade das atividades da pessoa jurídica.

Além disso, em perigo de demora, a falta de administrador poderia ocasionar um bloqueio das contas bancárias da Igreja e suspensão do cadastro junto à Receita Federal, situações que produziria “danos irreparáveis a organização religiosa”.

“Sem a nomeação de administrador provisório, e aguardando-se o costumeiro desenrolar da presente demanda, ao fim e ao cabo, poderá ser que a Igreja sequer tenha condições financeiras e administrativas de continuar suas atividades”, diz trecho do pedido feito pelo advogado Maury Borges da Silva nesta segunda-feira (13).

Contudo, a juíza em substituição da 9ِº Vara Civil de Cuiabá, Sinii Savana Bosse, pediu que o pastor Enesio comprove a aceitação ao cargo, já que no pedido não consta narrativa autoral.

“Posto isso, e sem mais delongas, determino que o autora, no prazo de 15 dias, proceda a emenda a petição inicial, afim de que comprove nos autos o aceite/anuência indicada, munidos das documentações pessoais necessárias, sob pena do seu indeferimento”, determinou.      

Procurado, o novo presidente Estadual da Igreja, pastor João de França esclareceu que Enesio irá ficar no cargo de interino até novas eleições. E que o filho de Sebastião, Silas Paulo, foi indicado, mas deverá ser submetido a uma votação. “Ele foi indicado, mas tem que se submeter a uma votação. Então o Enesio não está disputando a presidencia, mas está como interino até que ocorra o prazo para assembleia geral”, disse.

Entenda

O pastor Sebastião Rodrigues de Souza, antigo presidente da Convenção Estadual das Assembleia de Deus do Estado de Mato Grosso e Vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil, morreu no dia 8 deste mês em decorrência do coronavírus. Seu filho, Rubens Siro de Souza, vice-presidente da Codemat, também morreu vítima da mesma doença no dia 3.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet