Olhar Jurídico

Quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Notícias / Eleitoral

​Ministro remete ao TRE-MT investigação contra Wellington Fagundes sobre caixa 2 da JBS

Da Redação - Vinicius Mendes

18 Fev 2019 - 11:52

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

​Ministro remete ao TRE-MT investigação contra Wellington Fagundes sobre caixa 2 da JBS
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE- MT) o processo que investiga o senador Wellington Fagundes (PR), acusado de receber dinheiro da empresa JBS, mediante caixa 2.
 
Leia mais:
Dinheiro da JBS financiou dez campanhas vencedoras em Mato Grosso
 
O caso tramitava no STF em decorrência do cargo que Wellington Fagundes ocupa. No entanto, os crimes imputados ao senador foram cometidos antes dele ocupar cargo em Brasília.
 
“Reputo não satisfeitas as condições reproduzidas acima, uma vez que a conduta imputada ao investigado não teria sido praticada em razão do exercício de suas funções como Parlamentar”, disse o ministro.
 
Lewandowski declinou a competência no último dia 14 de fevereiro. No mesmo dia o processo foi enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR) para fins de intimação. O ministro ainda enviou os autos ao TRE-MT, já que o crime teria sido cometido em período de campanha, portanto é crime eleitoral.
 
“Determino a remessa dos autos ao Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Mato Grosso, para que distribua os autos ao juízo eleitoral competente para o processamento do feito”.
 
Doações
 
Só em 2014, a JBS repassou R$ 391,8 milhões a candidatos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sendo que vários deles são de Mato Grosso. O dinheiro chegou aos políticos mato-grossenses tanto através de doação direta ao candidato, mas também através de repasses pelos diretórios partidários ou de outros políticos.
 
Apesar de não receber dinheiro diretamente da empresa, o maior beneficiário de doações da JBS dos candidatos vencedores em 2014 foi o senador Wellington Fagundes (PR). Ele recebeu um total de R$ 1,4 milhão em três doações repassadas pelo Diretório Nacional do PR.
 
Outro lado
 
NOTA À IMPRENSA
 
Conforme o senador Wellington Fagundes já afirmou anteriormente, as doações de campanha feitas pela JBS se deram através da direção nacional do Partido da República, e foram devidamente contabilizadas e registradas na Justiça Eleitoral de Mato Grosso, bem como aprovadas sem restrições. Todos os dados se encontram disponibilizados no site da Justiça Eleitoral.
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Chico Bento
    18 Fev 2019 às 13:17

    Esse aí nunca me enganou!

Sitevip Internet