Olhar Jurídico

Quarta-feira, 05 de agosto de 2020

Notícias / Criminal

“Todos têm direito a presunção de inocência”, diz Taques sobre condenação de coronel Zaqueu

Da Redação - Vinicius Mendes / Da Reportagem Local - Carlos Dorileo

19 Nov 2019 - 09:44

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

“Todos têm direito a presunção de inocência”, diz Taques sobre condenação de coronel Zaqueu
O ex-governador Pedro Taques se manifestou sobre a condenação do coronel Zaqueu Barbosa pela Vara da Justiça Militar, a oito anos de reclusão em regime semiaberto, no julgamento da Grampolândia Pantaneira. Taques disse que entende que todos têm direito à presunção de inocência e que é normal que o militar recorra. Taques foi acusado por Zaqueu, pelo coronel Evandro Lesco e pelo cabo Gerson Correa, todos réus na Grampolândia, de liderar o esquema junto com seu primo Paulo Taques.
 
Leia mais:
Defesa de coronel Zaqueu apresenta recurso contra sentença da Grampolândia
 
A 11ª Vara Criminal Especializada em Justiça Militar condenou, no último dia 7 de novembro, o coronel Zaqueu Barbosa a oito anos de reclusão em regime semiaberto pelos crimes relacionados à Grampolândia Pantaneira.
 
No mesmo julgamento, o cabo Gerson Correia Junior recebeu perdão judicial. Os coronéis Evandro Alexandre Ferraz Lesco e Ronelson Jorge de Barros e o tenente-coronel Januário Antônio Batista foram absolvidos.
 
O ex-governador se manifestou sobre o caso na noite desta segunda-feira (18), durante a inauguração da última etapa do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).
 
“Respeitamos o Poder Judiciário, eu como advogado entendo que todos tem direito à presunção de inocência, ele vai recorrer, o que é absolutamente normal”, disse Pedro Taques.
 
No último mês de julho, Zaqueu, Lesco e Gerson, em audiência da Grampolândia, relataram como surgiu e como funcionava o esquema, afirmando que os chefes eram Pedro Taques e seu primo Paulo Taques, com objetivo de interceptar adversários políticos e outros alvos pessoais. O ex-governador já pediu ao Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) e à Polícia Judiciária Civil (PJC) para ser ouvido no processo que investiga o caso.
 
A inauguração do novo HMC foi a primeira aparição de Pedro Taques em evento político desde que deixou o Governo de Mato Grosso. Ele afirmou que não deve retornar à política, pois está “conduzindo minha carreira, voltando à carreira jurídica, não estou na política ano que vem”.
 
Depoimentos
 
No último dia 16 de julho foram reinterrogados o ex-comandante da Polícia Militar de Mato Grosso, Zaqueu Barbosa, e o coronel Evandro Lesco. Os dois confessaram crimes na chamada ‘Grampolândia Pantaneira’, com o envolvimento de membros do Ministério Público e políticos, entre eles Pedro Taques e Paulo Taques.
 
Os depoimentos seguiram no dia seguinte, 17, quando o juiz da Décima Primeira Vara Criminal Especializada em Justiça Militar de Cuiabá, Marcos Faleiros, e os juízes militares ouviram o cabo da Polícia Militar Gerson Corrêa Júnior, que citou nomes de mais promotores que atuavam no Gaeco e teriam ordenado a inserção de números de telefone por meio de barriga de aluguel no sistema de interceptação telefônica.
 
Veja os depoimentos na íntegra de Zaqueu e Lesco e de Gerson.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Nilton Ferreira
    19 Nov 2019 às 10:23

    manda para o Perri esses casos que vai ver como resolve em dois tempos

Sitevip Internet