Olhar Jurídico

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Criminal

Processo por apropriação indébita contra suplente de deputado em exercício é extraviado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

18 Out 2019 - 09:25

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Processo por apropriação indébita contra suplente de deputado em exercício é extraviado
O desembargador Rondon Bassil Dower Filho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), comunicou no dia 17 de outubro que a versão digitalizada de um processo contra o suplente de deputado estadual Oscar Bezerra (PV) foi extraviada. A mídia, gravada em um CD-ROM, deveria ser enviada ao juízo da 3ª Vara da Comarca de Juara após declínio de competência.

Leia também 
Justiça concede liberdade provisória a policiais acusados de extorsão a empresário


O desembargador esclareceu que não há prejuízo sobre a instrução do processo. Seu gabinete ainda possui versões físicas do caso. "Sabendo-se que por força da decisão exarada em 16.9.2019, houve declínio da competência para examinar e processar o feito em favor do Juízo da 3ª Vara da Comarca de Juara-MT, e que os autos originários da ação penal foram digitalizados por ordem desse mesmo Juízo – e por isso mesmo, estão em seu poder– não se vislumbra prejuízo algum em lhe remeter o caderno processual sem a indigitada mídia".
 
Oscar é acusado de, entre setembro e dezembro de 2008, na condição de prefeito de Juara, ter cometido os crimes de apropriação indébita previdenciária e desvio e aplicação indevida de rendas ou verbas públicas.

Antes de comunicar o sumiço da mídia digital, para decidir sobre o declínio de competência, Bassil  esclareceu que o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) fixou a tese de que “o foro por prerrogativa de função aplica-se apenas aos crimes cometidos durante o exercício do cargo e relacionados às funções desempenhadas”.
 
Oscar

O suplente de deputado Oscar Bezerra foi empossado no último dia 21 de agosto na vaga do deputado Faissal Calil, que se afastou das atividades parlamentares por um período de 120 dias para tratamento de saúde.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    18 Out 2019 às 13:59

    Será que os "bezerra" da política em MT são todos iguais?

  • kono
    18 Out 2019 às 09:42

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet