Olhar Jurídico

Domingo, 22 de setembro de 2019

Notícias / Criminal

TJMT revoga prisões de policiais acusados de facilitar entrada de celulares na PCE

Da Redação - Arthur Santos da Silva

21 Ago 2019 - 14:33

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

TJMT revoga prisões de policiais acusados de facilitar entrada de celulares na PCE
Os três policiais militares (PMs) detidos durante Operação Assepsia, desencadeada durante o mês de junho, tiveram prisões preventivas revogadas nesta quarta-feira (21) em decisão da Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). 

Leia também 
Operação que prendeu PMs surgiu após nomes aparecerem em celular de preso; coronel confirma assinatura

 
Foram beneficiados Cleber de Souza Ferreira, Ricardo de Souza Carvalhaes de Oliveira e Denizel Moreira dos Santos Júnior. Os desembargadores decidiram ainda declarar a incompetência da Sétima Vara Criminal e enviar o caso para o juízo da Décima Primeira Vara Criminal, Especializada em Justiça Militar.
 
Cleber de Souza seguirá preso por força de um novo mandado expedido também nesta quarta-feira (21), em nova operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).
 
A Operação Assepsia apurou facilitações para entrada de aparelhos celulares na Penitenciária Central do Estado (PCE). Foram denunciados ainda dois líderes do Comando Vermelho e dois agentes penitenciários que ocupavam os cargos de vice e de diretor da Penitenciária Central do Estado. 
 
Foram denunciados Paulo Cesar dos Santos, vulgo “Petróleo”, e Luciano Mariano da Silva, conhecido como “Marreta”, ambos pertencentes ao Comando Vermelho (CV); o então diretor da Penitenciária Central, Revétrio Francisco da Costa; o vice-diretor, Reginaldo Alves dos Santos e os militares Cleber de Souza Ferreira, Ricardo de Souza Carvalhaes de Oliveira e Denizel Moreira dos Santos Júnior.

Com a decisão dos desembargadores, o processo deve ser desmembrado. Supostos membros do CV e diretores do PCE seguem detidos. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jovirone
    21 Ago 2019 às 18:50

    Ja ?, já não meu amigo estão é atrasados, e tomara que concedam a liberdade dos diretores também que fizeram trabalhos excelentes enquanto na diretoria da PCE, acredito que exista uma falcatrua muito grande aí por trás de tudo isso tentando incriminá-los

  • Fabiane
    21 Ago 2019 às 16:57

    João, vai dormir!

  • Vinicius
    21 Ago 2019 às 16:07

    O que eu acho engraçado é que quando acham as vezes uma visitante pobre levar um celular pro esposo ou companheiro que esta preso essa esta fudida mais quando se trata de pessoas da Lei que deveriam dar exemplo esses tem suas falcutras perdoadas pela nossa gloriosa justiça Brasileira, por isso é que vivemos com outros grupos paralelos como PCC, CV, é culpa da nossa propria justiça que para uns a Lei tem que valer mais para outro são imputativa, por isso que eu digo o pau que bate em frencisco bate em chico

  • joao
    21 Ago 2019 às 14:59

    Já? Por isso que os crimes estão aumentando.

Sitevip Internet