Olhar Jurídico

Sábado, 13 de julho de 2024

Notícias | Criminal

DONO DA VERDE Transporte

Alvo por fraude em licitação pede devolução do passaporte para visitar filhos na Itália e na França

Foto: Reprodução

Alvo por fraude em licitação pede devolução do passaporte para visitar filhos na Itália e na França
O empresário Eder Augusto Pinheiro, dono da Verde Transportes, requereu à Justiça de Mato Grosso a devolução de seu passaporte.  Ele é alvo em ação proveniente da Operação Rota Final.


Leia também 
Juiz cita possível impacto e pede informações para decidir sobre interdição de presídio com 1.016 vagas

 
Segundo os autos, o requerente, de forma espontânea, sem que houvesse qualquer determinação judicial, fez a entrega de seu passaporte.

“Ocorre excelência, que o Requerente necessita visitar sua filha que reside na França e seu filho que estuda na Itália, já que não os vê há muito tempo. Assim sendo, requer a Vossa Excelência se digne em determinar a devolução do passaporte para o Requerente, a fim de que possa visitar seus filhos”.
 
Pedido aguarda julgamento na Sétima Vara Criminal, especializada em combate ao crime organizado. Requerimento deve ser examinado pela juíza Ana Cristina Mendes.
 
A Operação Rota Final apura crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude a licitação do setor de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros de Mato Grosso, promovida pela Secretaria de Infraestrutura do Estado de Mato Grosso e Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (AGER-MT).
 
Segundo o Ministério Público, investigações demonstraram a existência de uma Organização Criminosa liderada por Éder Augusto Pinheiro. Grupo tinha como principal objetivo impedir a implantação do novo Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso e, para tanto, os integrantes da agremiação lançaram mão dos mais variados meios criminosos para inviabilizar a Concorrência Pública nº 01/2017, deflagrada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra).
 
Sem a realização do certame licitatório as empresas ligadas aos envolvidos prosseguiriam a explorar, em caráter precário, inúmeras linhas de transporte intermunicipal, mantendo, dessa forma, o domínio econômico do setor, conforma vinha ocorrendo há várias décadas e garantindo lucros exorbitantes em detrimento da adequada prestação do serviço.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet