Olhar Jurídico

Sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Notícias | Criminal

matou duas pessoas em VG

Negado novo pedido de liberdade a mecânico que alega não ter dinheiro para fiança de R$ 48 mil

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Negado novo pedido de liberdade a mecânico que alega não ter dinheiro para fiança de R$ 48 mil
O juiz Murilo Moura Mesquita, da Primeira Vara Criminal de Várzea Grande, voltou a negar pedido de liberdade provisória do mecânico Jefferson Nunes, detido pelo homicídio duplamente qualificado (com emprego de meio que caracterizou perigo comum e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas) de um motorista de aplicativo e de uma passageira, ocorrido em 8 de abril, em Várzea Grande. Decisão é do dia 26 de maio. Audiência de instrução foi designada para o dia 23 de junho.

Leia também 
Juíza mantém preso ex-PM acusado de compor milícia que gerenciava arrendamento de Terra Indígena

 
Conforme o juiz, liberdade foi concedida em instância superior. Houve o arbitramento de fiança no montante de R$ 48 mil. O réu, porém, alega incapacidade financeira, requerendo que o valor seja reduzido.
 
Murilo Moura mesquita argumentou que a fiança questionada pela defesa foi arbitrada em segunda instância, por ocasião da concessão parcial de habeas corpus, razão pela qual inviável a alteração, pelo juízo de piso, do montante fixado na instância superior, sob pena descumprimento da ordem emitida pelo Tribunal de Justiça.
 
Conforme a denúncia formulada pelo Ministério Público, no dia dos fatos, Jefferson Veiga “conduzia veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool e em excesso de velocidade” pela Avenida Filinto Müller, em Várzea Grande.
 
Dirigindo um Corolla, ele invadiu a pista contrária e bateu em um Ônix, onde estavam o condutor Félix Lopez Bress, Jucilene Bispo da Costa e o filho do condutor (pessoa ainda não identificada).
 
Em seguida, colidiu frontalmente com um Etios, matando no local o motorista de aplicativo Igor Rafael Alves dos Santos Silva e a passageira Marcilene Lúcia Pereira. A filha dela, que também estava no carro, sobreviveu.
 
Assim, Jefferson Veiga foi denunciado duas vezes por homicídio qualificado e quatro vezes por homicídio tentado, além de embriaguez ao volante.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet