Olhar Jurídico

Sábado, 06 de março de 2021

Notícias / Criminal

‘Sentença é o início da derrocada do discurso de vitimização dos causadores da morte’, afirma advogado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

20 Jan 2021 - 09:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

‘Sentença é o início da derrocada do discurso de vitimização dos causadores da morte’, afirma advogado
O advogado Helio Nishiyama, que representa a família da jovem de 14 anos morta com um tiro na cabeça no Condomínio Alphaville, em Cuiabá, afirmou ao Olhar Jurídico que a sentença que condenou a autora do disparo é um avanço para remediar o que chamou de “homicídio covarde”.

Leia também
Defesa lamenta 'cumprimento antecipado' e recorre para reverter internação de adolescente
 

"O que houve naquela noite de 12 de julho de 2020 foi um homicídio covarde. A sentença é o início da derrocada do discurso de vitimização dos causadores da morte violenta da jovem Isabele Ramos. É o Poder Judiciário dizendo que os culpados devem ser responsabilizados".
 
Conforme sentença assinada pela juíza Cristiane Padim da Silva, da 2ª Vara Especializada da Infância e Juventude de Cuiabá, internação imposta vale por tempo indeterminado e será reavaliada semestralmente.
 
Ainda conforme sentença, a internação foi aplicada levando em conta a prática do ato infracional equiparado ao crime de homicídio qualificado em face de Isabele Guimarães Ramos, de 14 anos. Há nos autos O esclarecimento de que o prazo da medida socioeducativa não pode ultrapassar três anos.
 
A apresentação da adolescente já foi feita na Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), da Polícia Judiciária Civil. O pai dela, o empresário Marcelo Cestari, acompanhou o cumprimento da sentença.
 
O crime aconteceu em julho de 2020 e ganhou repercussão nacional após ser publicizado pelo programa dominical Fantástico, da Rede Globo.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet