Olhar Jurídico

Terça-feira, 18 de junho de 2024

Notícias | Eleitoral

CASOS REGISTRADOS EM 2022

TRE reforça monitoramento contra participação de facções criminosas nas eleições; alvo da polícia estava com campanha avançada

Foto: Olhar Direto

TRE reforça monitoramento contra participação de facções criminosas nas eleições; alvo da polícia estava com campanha avançada
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) instalou o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para o pleito de 2024, em reunião ocorrida nesta segunda-feira (20), cujo objetivo é fiscalizar e monitorar as eleições municipais de outubro, além de prevenir situações que foram identificadas em 2022: coação, compra de votos e financiamentos de campanha promovidas por facções criminosas. Neste ano, no âmbito da Operação Apito Final, a polícia descobriu que supostos membros do Comando Vermelho estariam com intuito de se candidatarem à Câmara Municipal de Cuiabá.


Leia mais: Fagner Paelo - alvo da Operação Apito Final - é pré-candidato a uma das 27 vagas à Câmara Municipal de Cuiabá

Em 2023, o deputado Wilson Santos denunciou que as facções criminosas instaladas em Mato Grosso estariam financiando campanhas eleitorais dos deputados da Assembleia Legislativa. Por conta disso, o Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco), do Ministério Público do Estado, decidiu instaurar um procedimento para apurar as denúncias.

Santos afirmou que no pleito de 2022 foi impedido por faccionados de transitar por alguns bairros de Cuiabá. A Polícia Civil descortinou, no âmbito da Operação Apito final, os planos de um advogado ligado ao tesoureiro do Comando Vermelho, Paulo Witer Farias Paello, o 'WT', de se lançar candidato à vereador por Cuiabá na Capital. O irmão de Paulo Witer também se lançaria à Câmara Municipal. 

Em entrevista à imprensa após a reunião que inaugurou o GGI 2024, o atual diretor do Tribunal Eleitoral de MT, Mauro Sérgio Rodrigues, lembrou que o gabinete identificou casos de financiamento, coação forçada no dia da votação e compra de votos ajeitadas pelas organizações criminosas nas eleições de 2022.

Mauro ponderou, entretanto, que neste ano ainda não há nenhuma denúncia específica sobre essas hipóteses de ligação com facções ou organizações criminosas, mas que o TRE tem uma preocupação concreta em prevenir tais atos.

“Sim, é uma preocupação que eu diria do país todo. Acho que a gente já identificou algumas situações de eleição de 2022. Então, a ideia do serviço de inteligência é exatamente para se adiantar [...] financiamento de campanha, enfim, situações de todo tipo, compra de votos, no dia, ameaças”, disse.

Além de organizar o pleito, sobretudo porque Mato Grosso é o terceiro maior estado da federação, com 903.357 km² de extensão territorial, 57 Zonas Eleitorais, 1.515 locais de votação, 8.795 seções eleitorais, 175 locais de difícil acesso e 55 zonas em aldeias indígenas, o GGI também visa prevenir que os candidatos recebam apoio ou financiamento das organizações criminosas.
 
Para coordenar o GGI, foi indicado o juiz auxiliar da Presidência, Aristeu Dias Batista Vilella, que apresentou um panorama das Eleições Municipais 2024.

O planejamento de uma eleição começa bem antes e com a segurança não é diferente. Para dar início à preparação deste trabalho, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) instalou o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) das Eleições Municipais 2024, nesta segunda-feira (20.05).

Em 2022, quando foi realizada a última eleição, o processo eleitoral contou com o envolvimento direto de 47.553 pessoas no dia do pleito, entre mesários e mesárias, membros de juntas eleitorais, auxiliares de transporte, servidores e servidoras, terceirizados e terceirizadas, entre outros. Destes, 5.641 foram agentes de segurança atuando para garantir a tranquilidade no dia de votação. Para este ano, secretário de Estado de Segurança Pública, coronel PM César Rovéri, estimou um efetivo de aproximadamente 7 mil profissionais das forças policiais. 

O GGI é composto por membros do TRE-MT, Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT); Polícia Judiciária Civil (PJC-MT); Polícia Militar (PM-MT); Polícia Federal (PF); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Exército Brasileiro; Marinha do Brasil; Corpo de Bombeiros Militar; Guarda Municipal de Várzea Grande; Agência Brasileira de Inteligência (Abin); Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE); Águas Cuiabá; OI Telecomunicações; Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai); Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana; Energisa; 3Corp Technology; e Correios.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet