Olhar Jurídico

Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Notícias | Civil

fraude licitatória

Viúva relata violência patrimonial e pede para não ser habilitada em processo contra ex-deputado falecido

Foto: Reprodução

Viúva relata violência patrimonial e pede para não ser habilitada em processo contra ex-deputado falecido
Eliane de Fatima Favareto, viúva de Pedro Inácio Wiegert, o Pedro Satélite, pediu para não ser habilitada como herdeira em processo movido na Justiça Estadual por suposta fraude licitatória. Satélite, ex-deputado estadual, morreu em janeiro.


Leia também 
Juiz considera que Sandro Louco não cometeu mais crimes violentos na cadeia e o retira de "Raio 8" da PCE

 
Favareto argumenta, entre outros pontos, que tinha um papel secundário na relação, onde sofreu violência patrimonial, tanto por parte do falecido companheiro como de seus filhos. 

"Na verdade eu solicitei pra não ser habilitada no processo porque não estava legalmente como esposa, era união estável e nunca estive no controle dos bens e negócios financeiros. Era esposa perante a sociedade e as campanhas politicas e perante os negócios não necessitava de minha concordância em nada", esclareceu em contato com o Olhar Jurídico. 
 
“Do exposto, requer-se o indeferimento do pedido de habilitação da requerente, conforme fundamentação alhures. Caso Vossa Excelência assim entenda, a parte requerente esta à disposição para o esclarecimento dos fatos aqui narrados, motivo pelo qual, pugna-se pela designação de audiência”, salientou.
 
No caso, após a morte do ex-deputado, Ministério Público pediu pela habilitação do espólio de Pedro Inácio Wiegert, por intermédio de Eliane Fátima Favaretto, Andrigo Gaspar Wiegert, Márcio Rodrigo Wiegert, Marciana Wiegert Alonço dos Reis e Samilly de Fátima Favaretto Wiegert.
 
Ministério Público denunciou o ex-deputado e mais pessoas por suposta fraude à licitação do setor de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros de Mato Grosso (STCRIP-MT), promovida pela Secretaria de Infraestrutura do Estado de Mato Grosso e Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (AGER-MT).
 
Além de Satélite, foram denunciados ainda: Éder Augusto Pinheiro, Max Willian de Barros Lima, Júlio César Sales de Lima, Wagner Ávila do Nascimento, José Eduardo Pena, Adriano Medeiros Barbosa, Dilmar Dal Bosco, Andrigo Gaspar Wiegert, Glauciane Vargas Wiegert, Silval da Cunha Barbosa, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, Francisco Gomes de Andrade Lima Neto, Carla Maria Vieira de Andrade Lima, Luís Arnaldo Faria de Mello, Idmar Favaretto, Marcos Antônio Pereira, Alessandra Paiva Pinheiro e Cristiane Cordeiro Leite Geraldino.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet