Olhar Jurídico

Sexta-feira, 24 de maio de 2024

Notícias | Geral

PREÇO ACIMA DA MÉDIA

Justiça suspende show de Leonardo que custaria R$ 750 mil a cidade de MT

Foto: Reprodução

Justiça suspende show de Leonardo que custaria R$ 750 mil a cidade de MT
A Justiça suspendeu o show do cantor Leonardo contratado pelo valor de R$ 750 mil pela Prefeitura de Gaúcha do Norte. O cantor havia sido contratado com dispensa de licitação para uma apresentação no dia 1º de junho de 2024 na 13ª Feira Cultural. A suspensão ocorreu a pedido do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT). A Justiça determinou também qualquer gasto adicional com montagem de palco, iluminação, som, recepção, alimentação, hospedagem etc. O Olhar Direto havia noticiado a contratação do sertanejo no dia 15 de janeiro. 


Leia também
Ministério Público pede derrubada de lei que dificulta destruição de maquinários apreendidos em crimes ambientais


Conforme apresentado na ação, entre os anos de 2022 e 2023 o cantor Leonardo realizou quatro apresentações no interior de Mato Grosso, todas com valores inferiores aos consignados na inexigibilidade de licitação n.º 003/2024 do município de Gaúcha do Norte. Os valores variaram de R$ 380 mil a R$ 550 mil. “Considerando a média de valores praticados no estado, identifica-se o sobrepreço de R$ 298.750”, acrescentou. 

O MPMT também realizou pesquisa de preço de shows já contratados com entidades públicas em períodos próximos da data em Gaúcha do Norte e constatou um valor médio de R$ 432 mil. “Assim, considerando a média dos preços praticados fora do Estado de Mato Grosso para shows com datas próximas à realização da apresentação artística do cantor Leonardo em Gaúcha do Norte, identificou-se o sobrepreço aproximado de R$ 318 mil”, narrou o MPMT. 

Em caso de descumprimento da decisão, a pena é de multa diária no valor de R$ 3 mil. Conforme a Ação Civil Pública de Nulidade de Ato Administrativo ajuizada pela 1ª Promotoria de Justiça Cível de Paranatinga (373km da capital), houve indícios de superfaturamento de preço uma vez que o valor pago estaria muito acima do valor de mercado praticado nas contratações do mesmo cantor em eventos do mesmo porte em cidades de Mato Grosso e de outros estados da federação. 

“O referido valor se mostra muitíssimo superior àqueles pagos por outros municípios ao mesmo cantor. A obrigatória justificativa de preço na inexigibilidade de licitação ocorre mediante a comparação da proposta apresentada com preços praticados pela futura contratada junto a outros órgãos públicos ou pessoas privadas, e, ante essa análise, verifica-se flagrante e injustificável superfaturamento”, argumentou o MPMT na ação.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet