Olhar Jurídico

Domingo, 19 de maio de 2024

Notícias | Criminal

crime em bar

Roberto Cabrini pede autorização para entrevistar autor de chacina em Sinop que matou sete pessoas

Foto: Reprodução

Roberto Cabrini pede autorização para entrevistar autor de chacina em Sinop que matou sete pessoas
O jornalista Roberto Cabrini, apresentador da TV Record, está pedindo à juíza Rosângela Zacarkim dos Santos, da 1ª Vara Criminal de Sinop, autorização para entrevistar Edgar Ricardo de Oliveira, responsável pela morte de sete pessoas, inclusive uma menina de 12 anos, no episódio conhecido como “Chacina de Sinop”. Requerimento foi protocolado no dia 1º de fevereiro.


Leia mais
Autor da Chacina de Sinop afirma que matou sete pessoas para exercer papel de chefe de família
 

O crime bárbaro ocorreu em 21 de fevereiro de 2023, em um bar de sinuca no município de Sinop. Maciel Bruno era o dono do estabelecimento. De acordo com o Ministério Público, Edgar Oliveira, acompanhado de Ezequias Ribeiro, apostou dinheiro em jogos de sinuca e perdeu cerca de R$ 4 mil.

No período da tarde, Edgar retornou ao estabelecimento acompanhado de Ezequias e chamou uma das vítimas para novas partidas de sinuca, também com aposta em dinheiro, ocasião em que perdeu novamente.
 
Após a nova derrota, acusado jogou o taco sobre a mesa, verbalizou com seu comparsa Ezequias que, de imediato, sacou uma arma de fogo e rendeu as vítimas, encurralando-as na parede do bar. Sete pessoas foram mortas, incluindo vítima menor de quatorze anos.  Edgar acabou preso e Ezequias Souza Ribeiro morreu em confronto com a polícia. 

Cabrini, visando dar voz ao autor da morte de sete pessoas, inclusive uma menina de 12 anos alvejada pelas costas, pediu à Justiça autorização para entrevista-lo. O requerimento, porém, ainda não teve uma decisão da magistrada. No entanto, recebeu autorização da defesa do réu.

No pedido, Cabrini solicitou a exclusiva com Edgar para ir ao ar em um dos programas da Rede Record de Televisão. Caso o requerimento seja deferido, o jornalista requer que a reportagem possa ser gravada o mais breve possível dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Além de Cabrini, um produtor, um operador de áudio e um cinegrafista compõem a equipe que deve adentrar nos corredores da PCE, caso a entrevista seja autorizada. 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet