Olhar Jurídico

Domingo, 19 de maio de 2024

Notícias | Criminal

Caso Toni Flor

Tribunal do Júri: viúva volta a confessar plano para matar marido

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Tribunal do Júri: viúva volta a confessar plano para matar marido
Interrogada durante Tribunal do Júri em Cuiabá, Ana Claudia de Souza Oliveira Flor voltou a confessar nesta segunda-feira (17) que encomendou a morte do marido, o empresário Toni Flor. A acusada chorou durante o interrogatório.


Leia também 
Tribunal mantém prisão de suspeito de atrair vítima de homicídio para emboscada


Suspeita começou o interrogatório respondendo questionamentos da juíza Monica Perri, contando sobre o relacionamento com Toni Flor, que durou 15 anos. Negou a ocorrência de qualquer relacionamento extraconjugal. Salientou que as suspeitas partiam, sem razão, de Toni. Ressaltou que o falecido possuía personalidade forte. 
 
Chorando, Ana Claudia contou que conheceu o ex-companheiro em 2005. O envolvimento foi muito rápido e intenso. Contou que ainda em 2005 Toni teve um problema com um ex-namorado da suspeita.
 
Ana Claudia salientou que Toni era um bom pai. Ajudava no cuidado com as filhas. Porém, na pandemia, alguns problemas comportamentais surgiram. Explicou ainda que foi ela que abriu a empresa em nome dos dois.
 
A acusada afirmou que a conta do casal era conjunta. Explicou ainda que Toni Flor costumava realizar gastos sem justificativa.
 
“Eu tive uma briga muito feia com Toni, e ele foi dormir em um hotel. Quando eu estava dormindo, ele quebrou a janela e tirou uma foto minha dormindo. Eu fiquei com muito medo”, argumentou. Depois desse fato, conforme depoimento, Ana Flor entrou em contato para encomendar a morte.

Segundo a acusada, em um primeiro momento, não houve o pagamento de valores ao suposto executor. Após conversa, com o executor, Ana Claudia teria desistido. Porém, o crime foi concretizado. Ana Claudia salienta que realizou pagamento em momento posterior por sofrer ameaças.

A acusada argumentou que quando Toni foi morto, não passou por sua cabeça que o assassinato ocorreu em decorrência de seu plano inicial. De acordo com sua interpretação, o plano não teria sido efetivamente contratado. Porém, conforme confessado, houve o pagamento de R$ 60 mil, em consequência de ameaças. 

Ana Claudia salientou que tem boletim de ocorrência registrado contra Toni Flor, por violência doméstica. Porém, Toni Flor foi absolvido da acusação.

O caso
 
Ana Claudia foi pronunciada por homicídio por motivo torpe, com recurso que dificultou a defesa da vítima, concurso de agentes e contra cônjuge, qualificadoras presentes no Código Penal. Além de Ana Claudia, também foram pronunciados Igor Espinosa, Wellington Honorio Albino, Dieliton Mota da Silva, Ediane Aparecida da Cruz Silva e Sandro Lúcio dos Anjos da Cruz Silva.
 
Consta na denúncia, que no dia 1º de agosto de 2020, por volta das 7h, em frente a uma academia, a vítima foi atingida por disparos de arma de fogo efetuados por Igor Espinosa, a mando de Ana Claudia de Souza Oliveira Flor. Para a concretização do crime, a esposa teria sido auxiliada por Wellington Honorio Albino, Dieliton Mota da Silva e Ediane Aparecida da Cruz Silva.
 
De acordo com a investigação, Toni da Silva Flor e Ana Claudia de Souza Oliveira Flor estavam casados há 15 anos, tendo inclusive três filhas. O casamento, no entanto, vinha se deteriorando, notadamente por conta de relacionamentos extraconjugais da acusada. Alguns dias antes de ser morto, Toni teria anunciado a intenção de se separar. 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet