Olhar Jurídico

Terça-feira, 23 de abril de 2024

Notícias | Geral

ao MPMT

PT apresenta ‘notícia-crime’ contra sindicatos que emitiram ‘Nota de Repúdio’ a posicionamento de Neri

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

PT apresenta ‘notícia-crime’ contra sindicatos que emitiram ‘Nota de Repúdio’ a posicionamento de Neri
O Partido dos Trabalhadores (PT) apresentou um ‘notícia-crime’ ao Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) contra os sindicatos rurais que emitiram notas de repúdio acerca do posicionamento de Neri Geller (PP). A peça, assinada pelo presidente estadual da sigla, Valdir Barranco (PT), acusa os sindicatos de disseminarem “fake news, atacando o Partido dos Trabalhadores e também seus pré-candidatos, conforme exposição de fatos e de direito abaixo expostos”.

Leia também:
Neri diz que alguns produtores têm ‘memória curta’ e lembra feitos dos governos PT ao agronegócio

Foram citados na notícia-crime os sindicatos rurais de Sinop, Campo Novo do Parecis, Primavera do Leste, Diamantino, Matupá, Poconé, Sorriso, Novo Mutum, Ipiranga do Norte, Nova Ubiratã, Vera, Tangará da Serra, Brasnorte, Lucas do Rio Verde e as cooperativas Agropecuária Primavera Coap e Agropecuária Terra Viva Cooavil.

Segundo a denúncia, os sindicatos rurais usaram “ilações sabidamente falsas, de cunho a incentivar o acirramento da polarização das próximas eleições, onde em escala crescente os crimes de ódio vêm sendo praticados, em detrimento da democracia e do Estado de Direito, devendo haver conduta ágil e firme do Poder Público, no sentido de coibir futuros atos nefastos”.

As notas publicadas pelos sindicatos criticam a aliança do deputado federal Neri Geller (PP) e do senador Carlos Fávaro (PSD) com o ex-presidente Lula (PT) e afirmam, dentre outras coisas, que “o PT atua em conjunto e apoia o Movimento Sem Terra (MST), uma organização criminosa que invade, depreda, incendeia propriedades adquiridas com trabalho e esforço de famílias honestas”.

O PT afirmou, na denúncia, que as notas atingiram as honras de pessoas físicas, mas também a imagem do próprio partido “através de fake News em relação ao MOVIMENTO DOS TRABALHADORES SEM TERRA – MST, com imputação da prática de vários crimes ao mesmo, manifestaram expressamente que o Partido dos trabalhadores estaria por detrás dos alegados crimes praticados pelo MST”.

A notícia-crime ainda cita que as notas imputaram ao MST e ao PT a pecha de “organização criminosa”, e que “torna-se urgente a atuação do Ministério Público para que cesse de imediato o crime de difamação, retirando-se dos meios de comunicação as notas de repúdio, incontinentemente”.

Barranco e os advogados pedem que os sindicatos rurais sejam responsabilizados criminalmente, assim como o autor intelectual das notas de repúdio, “nos termos da fundamentação, que passa a fazer parte integrante do pressente pedido”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet