Olhar Jurídico

Terça-feira, 21 de maio de 2024

Notícias | Criminal

20 anos de reclusão

PM condenado por morte do tenente Scheifer apresenta recurso de apelação

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

PM condenado por morte do tenente Scheifer apresenta recurso de apelação
O policial militar Lucélio Gomes Jacinto, condenado a 20 anos de reclusão, em regime inicial fechado, pela morte do segundo-tenente PM Carlos Henrique Paschiotto Scheifer, apresentou, nesta sexta-feira (25) recurso de apelação.


Leia também 
Grupo Rodeio ingressa com pedido de recuperação judicial por dívidas que somam R$ 24,8 milhões

 
As razões do recurso ainda não foram apresentadas. “Lucelio Gomes Jacinto, já qualificado nos autos, por seu advogado signatário, vem, respeitosamente a presença de vossa excelência, interpor, tempestivamente, recurso de apelação”, traz peça assinada pelo advogado Marciano Xavier.
 
O Conselho Permanente de Justiça Militar de Cuiabá condenou Lucélio Gomes Jacinto em sessão na quinta-feira (24). O crime aconteceu em maio de 2017, na região do Distrito União do Norte, zona rural de Peixoto de Azevedo. Durante o julgamento, a promotora de Justiça Daniele Crema da Rocha de Souza sustentou que o cabo Jacinto cometeu homicídio doloso qualificado. 
 
Por três votos a dois, o Conselho Militar reconheceu que o homicídio foi praticado por meio de surpresa, para assegurar a ocultação de outro crime, prevalecendo-se o agente da situação de serviço.
 
Os outros policiais militares denunciados, terceiro-sargento PM Joailton Lopes de Amorim e soldado PM Werney Cavalcante Jovino foram absolvidos, conforme tese defendida em sessão de julgamento e as alegações finais apresentadas no decorrer da instrução processual. 
 
Conforme a denúncia do MPE, a motivação do crime foi evitar que a vítima adotasse medidas que pudessem resultar na responsabilização do cabo PM Lucélio Gomes Jacinto, e até mesmo eventual perda da farda, por desvio de conduta em uma operação que culminou na morte de um dos suspeitos de roubo na modalidade “novo cangaço”.
 
Consta nos autos que Carlos Henrique Paschiotto Scheifer foi atingido por um disparo frontal efetuado pelo próprio colega de farda na região abdominal em um local que havia sido no dia anterior palco de confronto entre policiais e suspeitos de roubo.

Inicialmente, os denunciados sustentaram que a vítima havia sido atingida por disparo efetuado por suspeito não identificado. Após o laudo pericial, ficou comprovado que o projétil alojado no corpo do tenente partiu do fuzil de Lucélio Gomes Jacinto. “
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet