Olhar Jurídico

Terça-feira, 24 de maio de 2022

Notícias | Eleitoral

Justiça Eleitoral

Por erro, quarta pequisa eleitoral é suspensa após pedido da defesa de Taques

Foto: Reprodução

Por erro, quarta pequisa eleitoral é suspensa após pedido da defesa de Taques
A Justiça Eleitoral suspendeu nesta quinta-feira (12) a pesquisa realizada pelo Instituto Mark. Essa é a 4ª vez que o jurídico da coligação “Todos Somos Mato Grosso”, encabeçada pelo ex-governador Pedro Taques (SD), barra na Justiça Eleitoral pesquisas que induzem o leitor ao erro.

Leia também 
Desembargador concede liminar e revoga prisão da empresária Mônica Marchett


A solicitação de Taques foi acatada pelo juiz Armando Biancardini Candia. No pedido, a defesa do candidato alegou que existiam perguntas na pesquisa que induzia os entrevistados a pensarem que o candidato estivesse fora da disputa eleitoral. 

De acordo com a decisão do juiz auxiliar, os nomes de todos os candidatos cujo registro tenha sido requerido deverão constar da lista apresentada aos entrevistados durante a realização das pesquisas.

Caso se descumpra a lei, uma multa será aplicada no valor de R$ 50.000,00 a cada divulgação.

Vitória de Taques

O magistrado Armando Biancardini Candia  concedeu 23 minutos a Taques para se defender de acusações falsas do concorrente Nilson Leitão (PSDB). O deputado federal  havia publicado mensagens sem veracidade diante ao candidato do Solidariedade. Isso porque Leitão usou programas eleitorais para dizer que se o eleitor votar em Taques no próximo dia 15, os votos seriam considerados nulos. Induzindo aos eleitores  acreditarem que ele estaria fora da disputa eleitoral.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet