Olhar Jurídico

Domingo, 21 de julho de 2024

Notícias | Criminal

OPERAÇÃO RED MONEY

"Batman" alega que "Fusca" foi beneficiado e pede ao STJ o direito de recorrer em liberdade da sentença que o condenou a 13 anos

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

O ministro Rogério Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, manteve a prisão de Jonas Souza Golçalves Júnior, vulgo “Batman”, membro do Comando Vermelho detido no âmbito da Operação Red Money, deflagrada em 2018 para desbaratar as ações da facção, que teria lavado mais de R$50 milhões cobrando ‘taxas do crime”.


Leia mais: Juíza condena a mais de 100 anos de prisão liderança e membros do CV que movimentaram R$ 52 milhões
 
Batman foi condenado a 13 anos no regime fechado. Seu comparsa, Demis Marcelo Ferreira Mendes, vulgo “Fusca”, foi sentenciado na mesma ação, proveniente da operação, a 16 anos de prisão, mas Schietti lhe concedeu o direito de recorrer em liberdade.
 
Diante disso, defesa de Batman pediu que a ele fosse estendido o mesmo benefício concedido à Fusca:  o direito de aguardar em liberdade o julgamento do apelo que fez contra a condenação.
 
No entanto, examinando o pedido, Schietti decidiu nega-lo, anotando que “depreende-se, pois, que o tempo de tramitação do Processo não foi objeto de análise desta ação constitucional. Dessarte, não há falar em pedido de extensão. A pretensão do requerente deve ser arguida em impetração própria. À vista do exposto, indefiro o pedido”, decidiu o ministro nesta segunda-feira (10). 

“Fusca” e Batman foram presos em 2018 por tráfico e associação criminosa, no âmbito da Operação Red Money, deflagrada para desarticular ações do Comando Vermelho que lavaram R$ 52 milhões em Mato Grosso. Em maio, eles foram condenados a 16 e a 13 anos, respectivamente, pela 7ª Vara Criminal.

A Red Money
 
A Red Money foi deflagrada em 2018 para desbaratar esquema de arrecadação do Comando, com uso de empresas de fachada, contas bancárias de terceiros, como por exemplo de parentes presos.
 
A investigação estimou que a movimentação financeira do grupo, em um ano e meio, foi de aproximadamente R$ 52 milhões.
 
O esquema era dividido em quatro núcleos: arrecadação financeira, movimentação financeira, intermediário e de base e tráfico de drogas. 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet