Olhar Jurídico

Sábado, 20 de julho de 2024

Notícias | Política de Classe

disputa na oab

Xênia lamenta vídeo em que criança diz que ela é governada: “machismo estrutural”

Foto: Reprodução

Xênia lamenta vídeo em que criança diz que ela é governada: “machismo estrutural”
A presidente da 6ª subseção de Sinop da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Xênia Guerra, reagiu a um vídeo privado em que uma criança, provocada pelo pai que a filma, “analisa” o cenário político da disputa pela sucessão da OAB-MT. Nas palavras da criança, Xênia é “governada” por pessoas que querem controlar a entidade de classe.


Leia também:
Secretário-geral da OAB-MT declara apoio à Xênia Guerra no pleito de 2024

 
Em vídeo resposta, Xênia diz que recebeu a gravação por um colega advogado e critica a publicação que a coloca em uma posição de submissão perante homens. A advogada lamentou este tipo de atitude, ainda mais por usar um menor de idade.
 
“Isto revela um machismo estrutural que está enraizado dentro dos nossos lares, que não é compatível com os nossos tempos. Em pleno 2024, não é possível que alguém imagine que não se tem uma mulher capaz de conduzir e liderar um processo eleitoral”, declarou a advogada ainda na noite de quinta-feira (30), quando retornava para Sinop, depois de uma semana de encontros com advogados da capital.
 
No vídeo, a criança comenta sobre o processo eleitoral da OAB-MT e a atuação da atual presidente da seccional de Mato Grosso, Gisela Cardoso, e também do advogado Pedro Paulo, derrotado na última eleição.
 
Conduzida pelo pai, a criança elogia a atuação de Gisela à frente da OAB e também faz declarações favoráveis a Pedro Paulo. As críticas do vídeo são direcionadas mesmo a Xênia.
 
A advogada destaca que colocá-la como uma figura submissa e reduzir o projeto a um pequeno grupo de advogados é também apequenar um movimento que é genuíno, que conta com apoio de 18 presidente de subseções, em prol da proporcionalidade e representativa dos advogados do interior, e quem ganhado a adesão, também, dos profissionais da capital.
 
“Fico ainda mais entristecida por ter usado uma criança para passar uma mensagem tão negativa. E eu tenho certeza absoluta que não é isso que nem a advocacia e nem a sociedade merece neste momento de discussão e inclusão”, finalizou a advogada, que pertence a um movimento que busca a união e a inclusão, dando voz e vez para os que enfrentam as dificuldades do interior no estado de Mato Grosso.


 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet