Olhar Jurídico

Quarta-feira, 17 de julho de 2024

Notícias | Administrativo

DR. JACKSON COUTINHO

Advogado que se despediu do TRE após seis anos é convidado por desembargadores à magistratura: 'daqui a pouco ele volta'

Foto: TRE-MT

Advogado que se despediu do TRE após seis anos é convidado por desembargadores à magistratura: 'daqui a pouco ele volta'
Depois de três biênios, o advogado Jackson Coleta Coutinho se despediu do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) em solenidade ocorrida nesta sexta-feira (24). Ladeado dos seus pares, das desembargadoras Maria Aparecida Ribeiro e Serly Marcondes Alves, presidente e vice do Tribunal, ele se emocionou ao agradecer pelos aprendizados, os anos de amadurecimento profissional e a oportunidade de atuar com afinco na judicatura mato-grossense. Mas a despedida não foi um adeus, pelo menos se depender dos magistrados de segundo grau que lá estavam, os quais o convidaram, ainda que informalmente, a adentrar oficialmente na segunda instância.


Leia mais
Sucessão na PGJ expõe rompimento entre Deosdete e José Antônio Borges


Jackson adentrou no Tribunal como substituo em 2017. Em 2019, se oficializou como juiz-membro, atribuição que cumpriu até hoje. Foi lembrado pelos colegas por sua atuação profissional, clínica, e de representação da advocacia na judicatura.

Técnico, brilhante, humano, com respeito ao eleitor, de caráter indiscutível, simples, de sorriso gratuito e de fácil convívio. Essas foram as palavras que os magistrados presentes na sessão dispensaram à Jackson. Para o desembargador Luiz Octávio Saboia, ex-membro do pleno do TRE, ele construiu democracia durante sua passagem.

Mas a despedida não foi um adeus, e teve tom de “até logo”, pelo menos se depender dos discursos da vice, Serly, de Saboia e da presidente Maria Ribeiro. Cotado para ser desembargador do TJMT, mesmo que ainda na informalidade, o futuro de Jackson se aproxima do segundo grau da Justiça mato-grossense. 

Maria Aparecida Ribeiro fez questão de destacar toda sua admiração pela pessoa de Jackson e seu trabalho, lealdade e contribuição à justiça, mas sobretudo o respeito ao cidadão eleitor. Incrédula de despedidas “eternas”, a presidente acredita que a despedida dele não é o fim, mas uma suspensão. “Infelizmente ele vai nos deixar ‘temporariamente’, porque eu tenho certeza que daqui a pouco ele volta”, disse.

Serly Marcondes lembrou das qualidades humanas de Jackson, da sua técnica para prestar uma advocacia responsável, estudiosa e competente. Para ela, foi uma felicidade poder dividir o plenário com ele, e também não deu um adeus. Serly gostaria que ele fosse da turma dos juízes de cadeira e reforçou que ele se inscreva no próximo concurso que vai abrir.

“Você é prata da casa e eu gostaria muito que você fizesse a inscrição pro próximo concurso que já vai abrir. Eu gostaria que você fosse da nossa turma, que você viesse para nossa turma dos juízes de carreira”, pontuou.

Ex-membro do pleno do TRE e atual desembargador do Tribunal de Justiça, Luiz Octávio Saboia nunca tinha presenciado uma despedida tão emotiva. Normalmente, segundo ele, que tem mais de 26 anos de magistratura, as emoções florescem nas posses, no entanto, a passagem de Jackson marcou o Tribunal, tocando os corações de todos que labutaram com ele, que foi escolhido tanto pela esquerda como pela direita.

Saboia também o convidou para a magistratura, ponderando que o trabalho dele na advocacia é necessário para a construção de um judiciário forte. “Tomara que você venha pra magistratura. Gostaria muito, mas gosto muito também de ter ver como advogado. A advocacia precisa de pessoas como você. Você construiu um judiciário forte, uma advocacia forte. Você construiu democracia aqui dentro”, completou.

Jackson completou sua passagem no Tribunal somando seis anos de atividade. Ouvidor e juiz-membro, participou de 183 sessões plenárias, recebeu 440 processos, foi o relator de 124 julgamentos colegiados, proferiu 320 julgamentos monocráticos e 151 decisões interlocutórias.

Homenageado, se emocionou ao agradecer pelas palavras que recebeu, e reafirmou da sua competência ao lembrar que entregou seu gabinete com apenas um processo concluso. “E isso foi graças ao esforço da equipe gabinete, quero agradecer ao trabalho das assessoras que trabalharam comigo, Flávia e Rafaela”.

Também ressaltou o papel da advocacia, que foi lembrada por todos os demais que lhe homenagearam. “Tudo que tenho e que sou devo à advocacia, por isso sou grato. Todos e todas que atuam no TRE são dedicados e comprometidos. Quero agradecer, porque esse foi um período em que amadureci muito como homem e como profissional, para mim foi uma honra e satisfação. Agradeço e honro, ainda, a minha família, porque sempre me apoiou”, completou o juiz-membro Jackson Francisco Coleta Coutinho.

Após o discurso, ele entregou a Comenda Ouvidor Antônio de Oliveira, que recebeu em homenagem pelos serviços prestados como ouvidor eleitoral no último biênio, à esposa, Aline Mendonça.

Também entregou flores, como forma de homenagem, à presidente do TRE-MT, à corregedora regional eleitoral, às servidoras do gabinete, Rafaela Corsaletti Garcia Vicente e Flávia Maria Duarte Monteiro Pasqualin, e às colaboradoras terceirizadas que atuam como, Ledir Gomes Laurindo e Eliane de Arruda Souza, em nome das demais servidoras, servidores, colaboradoras e colaboradores da Justiça Eleitoral. As servidoras do gabinete também entregaram ao juiz-membro a uma moldura com a placa de identificação da sala que ele ocupou no TRE-MT.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet