Olhar Jurídico

Domingo, 14 de agosto de 2022

Notícias | Criminal

MP promete recorrer

Júri condena a 20 anos acusado de mandar matar personal; comparsa usará tornozeleira

Júri condena a 20 anos acusado de mandar matar personal; comparsa usará tornozeleira
Tribunal do Júri de Cuiabá condenou nesta terça-feira (5) Guilherme Dias de Miranda a 20 anos de prisão (regime fechado) e Wallisson Magno de Almeida Santana a nove anos, no regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica. Dupla foi processada pela morte do personal trainer Danilo Campos.

Leia também 
Justiça nega absolvição de Antenor Figueiredo em ação sobre semáforos inteligentes

 
Julgamento iniciado na segunda-feira durou dois dias e foi conduzido pela magistrada Monica Perri, da Primeira Vara Criminal.  Ministério Público consignou durante leitura da sentença que recorrerá em face de Wallisson.
 
Os advogados Hélio Caldeira, Neyman Monteiro e Railton Amorim aturam pela defesa de Wallisson Magno. “A justiça foi feita na proporção da sua culpabilidade, dentro do princípio da proporcionalidade, que preceitua em nosso ordenamento jurídico”, assinalou a defesa. A reportagem não conseguiu contato com os advogados de Guilherme Dias.

Legenda: Advogado Neyman Monteiro/ Foto: Alair Ribeiro/MidiaNews

Segundo os autos, crime ocorreu no dia 8 de novembro de 2017, no Bairro Goiabeiras, na Capital. O corpo do personal foi encontrado caído ao lado do carro, na Rua General Ramiro de Noronha.
 
Testemunhas relataram que dois homens em uma motocicleta se aproximaram da vítima e fizeram os disparos. A vítima estava ao lado de seu carro, um Honda Civic, e os criminosos atiraram, matando o personal na hora.
 
Conforme as investigações, Guilherme teria ordenado a morte de Danilo por ciúme de sua esposa. 
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet