Olhar Jurídico

Domingo, 29 de maio de 2022

Notícias | Eleitoral

Gráfica Print

PF não vê crime de senador em investigação por suposta omissão de despesas eleitorais

Foto: Reprodução

PF não vê crime de senador em investigação por suposta omissão de despesas eleitorais
Polícia Federal (PF) não encontrou crime em  transações envolvendo o senador Carlos Fávaro (PSD) e a Gráfica Print. Investigação apurava a existência de notas promissórias datas de 2018 cujos valores de R$ 405 mil e R$ 60 mil não teriam sido elencados na prestação de contas de Fávaro. Informação sobre a conclusão foi revelada em dezembro de 2021.

Leia também 
Eder Moraes consegue decisão para revogar tornozeleira, mas segue monitorado

 
Suspeita foi levantada por reportagem publicada em Cuiabá.  Conforme relatório, análise preliminar acerca dos valores totais recebidos nas Eleições de 2018 pela Gráfica Print atingiu montante de R$ 4,7 milhões. Segundo a PF, porém, conjugando toda documentação encaminhada e os esclarecimentos dos envolvidos, chegou-se à conclusão da inexistência de caixa 2.

“Dessa forma, quanto à materialidade delitiva, não se verifica a prova da ocorrência do crime eleitoral, a autoria, por conseguinte, carece de elementos mínimos para que se sustente a responsabilidade penal do agente ora investigado”, diz trecho de documento da PF.
 
Ciente das provas produzidas, o delegado responsável, Bruno Oliveira Pereira Bergamaschi, encerrou as investigações e aguarda parecer do Ministério Público, além da decisão da Justiça Eleitoral.
 
“Posto isto, após a escorreita investigação criminal, e considerando ausência de materialidade da notícia-crime em apuração, encerram-se os trabalhos de Polícia Judiciária, remetendo-se os presentes autos para apreciação e demais providências que se entendam pertinentes”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet