Olhar Jurídico

Domingo, 05 de dezembro de 2021

Notícias | Criminal

audiência de custódia

Justiça mantém prisões contra acusados de matar policial militar em distribuidora

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Justiça mantém prisões contra acusados de matar policial militar em distribuidora
O juiz Murilo Moura Mesquita, da 1ª Vara Criminal de Várzea Grande, manteve prisões de Wesdra Victor Galvão de Souza, 29 anos, e Alan Patric Schuller, 27 anos, acusados pelo assassinato do policial militar Roberto Rodrigues de Souza, 31 anos, durante briga em uma conveniência na Rodovia Mário Andreazza, no dia 26 de julho. Os dois se entregaram à Polícia Civil na noite de quarta-feira (4), em Cuiabá.

Leia também 
Justiça rejeita pedido de Arcanjo e mantém ação proveniente da Operação Arca de Noé
 

Decisão ocorreu em audiência de custódia nesta quinta-feira (5). Informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).
 
Roberto morreu após ser agredido com socos e chutes na cabeça. Câmeras de segurança mostram que o policial foi dar um soco em um dos homens e os dois partiram para cima do soldado, que não conseguiu se defender.

Após alguns socos, o policial caiu ao chão e os criminosos continuaram a chutá-lo, principalmente na região da cabeça. Duas mulheres que os acompanhavam tentaram contê-los. 

Depois disto, os amigos perceberam a demora e foram até o local, descobrindo o que havia acontecido. O soldado chegou a ser socorrido para o Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSMVG).  Porém, não resistiu aos ferimentos. 

Soldado Rodrigues ingressou na Polícia Militar em novembro do ano de 2015. O militar estava lotado no 2º Comando Regional de Várzea Grande, chegou a trabalhar no GAP (Grupo de Apoio) do 4º Batalhão e atualmente trabalhava no Núcleo de Polícia Militar de Acorizal.  

O militar era solteiro e deixa três filhos pequenos.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet