Olhar Jurídico

Quarta-feira, 23 de junho de 2021

Notícias / Civil

ação de indenização

Justiça bloqueia R$ 70 mil de advogado que utilizou adjetivos 'chulos' contra magistrado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

10 Mai 2021 - 11:47

Foto: Reprodução

Justiça bloqueia R$ 70 mil de advogado que utilizou adjetivos 'chulos' contra magistrado
A juíza Ana Paula da Veiga Carlota Miranda, da 8ª Vara Cível de Cuiabá, determinou, no dia três de maio, bloqueio de R$ 70 mil nas contas do advogado Arnaldo Ramão Medina. Pedido partiu do magistrado Wagner Plaza Machado Junior.

Leia também 
PGR reforça pedido para que STF julgue inconstitucional recondução na mesa diretora da ALMT

 
Segundo os autos, o magistrado ajuizou a ação de indenização por danos morais em virtude de Arnaldo Medina ter formulado, injustamente, uma reclamação junto à Corregedoria Geral de Justiça de Mato Grosso.
 
Utilizando adjetivos “chulos” e insinuações “maléficas”, Medina acusou Plaza de ter “preguiça mental”, de ser “desatualizado” e de ter proferido uma decisão “ridícula” e “esdrúxula”.
 
Após julgamento, cumprimento de sentença requerido por Wagner Plaza Machado Junior em face de Arnaldo Ramão Medina, objetivou o recebimento da quantia de R$ 69 mil, referente a indenização por danos morais e custas processuais e R$ 2,7 mil relativo a honorários advocatícios de sucumbência.
 
Intimado, o executado ofereceu 23,87 hectares de terra em Juara para pagamento do débito. Alegou, ainda, que é idoso, possui saúde frágil e que sobrevive com sua renda de aposentado.
 
Em manifestação, Plaza Machado não aceitou o bem ofertado. Ao decidir, Ana Paula da Veiga Carlota Miranda salientou que o imóvel já possui averbação premonitória de uma execução extrajudicial.
 
Ciente da situação, a magistrada determinou a penha dos valores.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet