Olhar Jurídico

Segunda-feira, 19 de abril de 2021

Notícias / Geral

pandemia em alta

Governo Federal criou ‘tempestade perfeita’: falta de auxílio emergencial e desprezo à vacina, avalia PGJ

Da Redação - Arthur Santos da Silva

07 Mar 2021 - 08:35

Foto: Reprodução

Governo Federal criou ‘tempestade perfeita’: falta de auxílio emergencial e desprezo à vacina, avalia PGJ
Procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges aponta falhas do Governo Federal na estratégia de contenção da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Segundo o chefe do Ministério Público de Mato Grosso, a falta de um novo auxílio emergencial e incentivos contra demissões na iniciativa privada dificultam a implantação de um novo lockdown. Ainda segundo Borges, por muito tempo o presidente Jair Bolsonaro desprezou as vacinas, criando uma “tempestade perfeita”.

Leia também 
TJ mantém decreto e nega pedido de sindicato para professores gravarem aulas até as 22 horas

 
“Não há saída para esse caos, falta primeiro uso de máscaras, falta afastamento social, ou essa parada mínima 14 dias é insuficiente, quando o ideal são 21 dias.  Essa parada agora, de 14, não é lockdown completo exatamente pela falta de auxílio emergencial e incentivo pelo governo federal para não ocorrer demissões na iniciativa privada”, afirmou ao Olhar Jurídico neste domingo (7).
 
A manifestação de Borges surge um dia após a Secretaria de Estado de Saúde (SES) notificar 260.760 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.993 óbitos em decorrência do coronavírus. Foram notificadas 814 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 260.760 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 10.254 estão em isolamento domiciliar e 242.877 estão recuperados.
 
Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 479 internações em UTIs públicas e 397 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 99,58% para UTIs adulto e em 47% para enfermarias adulto.
 
“Tempestade perfeita e o governo central (União) desprezou as vacinas, a estratégia nuclear para cessar as mortes. Tempestade perfeita. Decisões políticas erradas e a tragédia com mortes anunciadas no início da pandemia em 2020”, complementou Borges.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 em MT estão: Cuiabá (56.151), Rondonópolis (20.404), Várzea Grande (16.403), Sinop (13.260), Sorriso (10.539), Tangará da Serra (10.185), Lucas do Rio Verde (9.512), Primavera do Leste (7.753), Cáceres (5.751) e Nova Mutum (5.164).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet