Olhar Jurídico

Terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Notícias / Criminal

Adolescente que matou amiga no Alphaville terá que cumprir medidas cautelares

Da Redação - Vinicius Mendes

26 Nov 2020 - 10:32

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Adolescente que matou amiga no Alphaville terá que cumprir medidas cautelares
A adolescente que matou Isabele Guimarães Ramos, no dia 12 de julho, no condomínio Alphaville em Cuiabá, terá que cumprir algumas medidas cautelares, como a de se recolher em casa no período noturno e finais de semana. Nesta quarta-feira (25) a Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) confirmou a liminar que revogou a internação imposta à adolescente, mediante cumprimento das cautelares.
 
Leia mais:
TJ mantém revogação de internação de adolescente que matou amiga no Alphaville
 
A decisão do TJ neste processo, que tramita em segredo de Justiça, foi dada na sessão de ontem (25). Além de recolhimento em sua residência no período noturno, nos finais de semana e outros dias de folga, a adolescente não poderá fazer uso de bebidas alcoólicas.
 
No último dia 15 de setembro a adolescente chegou a se entregar após ter sua internação decretada. No mesmo dia, seguiu para o Complexo do Pomeri, onde estava em cela isolada, por conta dos procedimentos do novo coronavírus.
 
No dia seguinte o desembargador Rui Ramos, plantonista, deferiu o habeas corpus para a adolescente alegando que ela tem se apresentado espontaneamente a todos os atos do processo. Inclusive compareceu à delegacia após a decretação da internação. Apesar do Ministério Público pedir a manutenção da internação, o TJ manteve a garota em liberdade.
 
O caso
 
No caso, a adolescente responsável pelo disparo que matou Isabele Guimarães Ramos no condomínio Alphaville responde por ato infracional análogo ao crime de homicídio doloso.
 
A Polícia indiciou ainda o empresário Marcelo Cestari, pai da jovem atiradora, pelos crimes de posse de arma de fogo, homicídio culposo (sem intenção de matar), por entregar a arma para adolescente e por fraude processual. Marcelo Cestari será julgado em outro processo. O pai e a mãe da adolescente também foram denunciados pelo Ministério Público.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet