Olhar Jurídico

Sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Notícias / Criminal

Juiz pede novo laudo de gravações que registraram atropelamento de verdureiro

Da Redação - Vinicius Mendes

28 Out 2020 - 09:43

Foto: Reprodução

Juiz pede novo laudo de gravações que registraram atropelamento de verdureiro
O juiz Flávio Miraglia Fernandes, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, determinou a produção de um novo laudo pericial dos arquivos de mídia referentes ao atropelamento, que resultou em morte, do verdureiro Francisco Lucio Maia pela médica Letícia Bortolini em abril de 2018. O magistrado quer que o laudo contenha as causas do acidente e informação se era possível ou não evitá-lo.
 
Leia mais:
Juiz determina bloqueio de R$ 1 milhão de dono da Verde Transportes após pedido de credor
 
No último mês de junho o juiz já havia determinado a reprodução dos arquivos, ordenando que as mídias originais fossem encaminhadas à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) para a realização da nova perícia. A reprodução das mídias ocorreu no dia 31 de agosto, porém uma das mídias deu erro e não foi possível fazer cópia, nem leitura.
 
As mídias copiadas ficaram na 12ª Vara, lacradas para eventual consulta pelos interessados, enquanto as originais foram encaminhadas à Politec. Os peritos, inclusive, recentemente fizeram novas medições na Avenida Miguel Sutil, onde ocorreu o acidente.
 
Em um outro ofício o juiz Flávio Miraglia Fernandes determinou que seja realizado “exame pericial nas oito mídias gravadas em DVDs-R e pen-drive, emitindo-se laudo pericial contendo as causas do acidente e sua evitabilidade ou não e ainda, considerando minuciosamente todas as circunstâncias delineadas”.
 
O caso
 
Francisco Lucio Maia, de 48 anos, morreu na noite do dia 14 de abril de 2018, após ser atropelado pela médica Letícia Bortolini, 35, na Avenida Miguel Sutil, região do bairro Cidade Verde, em Cuiabá. Letícia estava em um Jeep Compass, com o marido, e ambos fugiram sem prestar socorro à vítima.
 
Letícia foi presa em flagrante dentro de sua residência, em um condomínio de alto padrão, localizado no bairro Jardim Itália. No entanto, no dia 16 de abril de 2018, ela foi solta, após o desembargador Orlando Perri conceder habeas corpus. O magistrado revogou a prisão, mas impôs uma série de medidas restritivas que, se descumpridas, podem culminar em penas como a perda da liberdade.
 
A família do verdureiro se manifestou diversas vezes, indignada com o caso. Durante o depoimento do marido de Letícia à polícia, as filhas de Francisco confrontaram ele e sua defesa. A médica se recusou a prestar depoimento e afirmou que falará sobre o caso somente à Justiça. Nenhuma audiência sobre o caso foi realizada até o momento.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet