Olhar Jurídico

Terça-feira, 04 de agosto de 2020

Notícias / Civil

Maggi reclama sobre excesso de bloqueio em ação por compra de vaga e oferece imóvel de R$ 26 milhões

Da Redação - Arthur Santos da Silva

03 Jul 2020 - 13:22

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Maggi reclama sobre excesso de bloqueio em ação por compra de vaga e oferece imóvel de R$ 26 milhões
O ex-governador Blairo Maggi reclamou sobre excesso de bloqueio de bens na ação que julga possível compra de vaga no Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT). Segundo o político, que é alvo de decisão no montante de R$ 4 milhões, apenas um dos imóveis retidos tem avaliação estabelecida em R$ 26 milhões.

Leia também 
Justiça desmarca audiência, suspende ação sobre compra de vaga no TCE e aguarda delação de Riva

 
Conforme a defesa do ex-governador, patrocinada pelo advogado Rodrigo Mudrovitsch, consta nos autos a imposição de restrição sobre R$ 403 mil em contas bancárias, três veículos e oito imóveis. Porém, conforme apontado, as informações “não dizem com a realidade”.
 
Significando erro, a ordem teria recaído sobre diversos outros bens, embora não tenha sido esse fato informado pelos cartórios. Quatro imóveis registrados em Rondonópolis e três em Tangará da Serra também foram tornados indisponíveis por força da decisão.
 
Segundo Maggi, apenas um dos bens tornado indisponível em Rondonópolis é suficiente para garantir todo o pagamento pretendido. Conforme laudo de avaliação, o citado bem tem valor de R$ 26 milhões.
 
Apresentados as informações, a defesa do ex-governador requereu que todos os demais bens de sua propriedade sejam liberados do bloqueio. “Somente com a indisponibilidade desse imóvel [de R$ 26 milhões] já se poderá garantir, com sobras, o pagamento de eventual condenação pretendida pelo Requerente, no valor histórico de R$ 4.000.000,00”, assinalou.
 
O pedido, do dia 29 de junho, ainda não foi julgado pela Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá.

O caso

Além de Blairo Maggi, a ação, por ato de Improbidade Administrativa, foi ajuizada pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPE) em face de Silval da Cunha Barbosa, Alencar Soares Filho, Eder Moraes, Junior Mendonça, Humberto Bosaipo, José Riva, Leandro Valoes Soares e Sergio Ricardo de Almeida.
 
Na ação, o Ministério Público descreve a atuação de uma organização criminosa instalada no alto escalão dos poderes Executivo e Legislativo de Mato Grosso e que é objeto de investigações iniciadas em 2014, na Operação Ararath.
 
Entre as irregularidades já identificadas está a negociação de cadeiras no Tribunal de Contas do Estado.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Neto
    04 Jul 2020 às 15:45

    Blairro Maggi é o que há de pior na politica brasileira.

  • José
    04 Jul 2020 às 15:12

    Esse santo sempre rodeado de pessoas trabalhadoras, honestas e de boa índole .....

  • elias
    04 Jul 2020 às 12:01

    O bloqueio e pelo valor declarado no imposto renda, todos bens com valores defasados, esse mesmo de 26 milhoes, duvido se esta declarado por 1 milhao.

  • José Carlos Togni
    04 Jul 2020 às 08:32

    O bloqueio é para garantir futuras condenações, vem mais por aí....

  • MARTA
    04 Jul 2020 às 08:02

    BLAIRO NÃO ESTA NEM AI PRA CUIABA E PRA NÓS, QUANDO GOVERNADOR SÓ TRABALHOU POR INTERESSES PROPRIOS .

  • Bruno Mendes
    04 Jul 2020 às 06:01

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Edmilson rosa
    03 Jul 2020 às 23:44

    Até quando essa justiça vai demorar para prender o rapaz .

  • PEPEU
    03 Jul 2020 às 22:15

    Su vez está chegando. Só o STF para salva-lo

  • luiz otavio
    03 Jul 2020 às 19:19

    ele vai acabar preso,muita ganancia da nisso

  • Júnior Gomes
    03 Jul 2020 às 17:54

    não preocupa não "caldo kinor " lembra que estamos no Brasil do STF né... pra que dar um imóvel? Você já assumiu o delito ? Liga pro Gilmar pro Alexandre tudo se resolve né

Sitevip Internet