Olhar Jurídico

Quarta-feira, 27 de maio de 2020

Notícias / Civil

Aposentado que teve suspeita de Covid-19 consegue vaga na UTI após ação; exame deu negativo

Da Redação - Arthur Santos da Silva

31 Mar 2020 - 17:31

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Aposentado que teve suspeita de Covid-19 consegue vaga na UTI após ação; exame deu negativo
A Defensoria Pública conseguiu uma vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Lucas do Rio Verde (332 km de Cuiabá) para Severino Gaieski, 54 anos, diagnosticado com pneumonia bacteriana. Havia suspeita de contaminação pelo novo coronavírus, mas o resultado do exame para detecção da Covid-19, divulgado ontem (30), foi negativo.

Leia também 
MP investiga prefeito por uso de maquinário público em área particular; veja vídeo


“Foram dois dias de angústia e aflição. O paciente estava com problemas respiratórios e suspeita de estar com Covid-19. Ele teve que ser internado às pressas em UTI de hospital particular”, relembra o defensor público Ubirajara Vicente Luca, que atua na comarca de Sorriso, distante 396 km da capital.

Gaieski inicialmente foi diagnosticado com síndrome respiratória grave, com suspeita de Covid-19. O quadro agravou-se rapidamente, uma vez que o aposentado não apresentou sintomas da doença. Cerca de quatro horas após o primeiro atendimento médico, dia 20, ele já estava entubado.

A família não encontrou uma vaga de UTI no Sistema Único de Saúde (SUS) no primeiro momento, então o paciente foi internado na rede particular, acreditando que o problema seria resolvido em pouco tempo. O dinheiro para o pagamento das diárias foi levantado por meio de “vaquinha” entre amigos e familiares.

“Como ele acabou ficando mais dias no hospital, a família não tinha condição de pagar e procurou a Defensoria na terça-feira (24) à noite. Entramos com a ação na mesma noite para que o Estado providenciasse uma vaga de UTI na rede pública, o Estado disponibilizou essa vaga em Lucas do Rio Verde, 65 km de Sorriso, e ele foi transferido na manhã seguinte”, explicou o defensor.

Translado 

Houve um impasse sobre quem faria a transferência. Para não ter que pagar mais uma diária no hospital, a família acabou custeando o translado para depois, com o auxílio da Defensoria, conseguir ser ressarcida dos gastos.

“Ficamos preocupados devido ao estado de saúde dele e pelo fato que não tivemos resposta do município de Sinop, responsável pelo transporte para Lucas do Rio Verde, conforme determinava a liminar. Como não conseguimos o transporte, fizemos através da home care particular e ocorreu tudo como previsto, sem nenhuma intercorrência”, relatou Glaucia Gaieski, 42 anos, esposa de Severino.

O quadro de saúde de Gaieski apresenta melhoras, mas ainda requer assistência intensiva. O exame de Covid-19, divulgado nesta segunda-feira (30), teve resultado negativo.
 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dudu Mendes
    31 Mar 2020 às 22:28

    54 anos só é já aposentado? Por isso previdência quebrou...

  • Moacir
    31 Mar 2020 às 22:09

    Cara só fico pensando se está doença vier com força mesmo o que vai ser fã população, tomara que pegue primeiro nós políticos.

  • Rubens Tadeu Reynaud
    31 Mar 2020 às 21:41

    Zona.

  • Dudu Mendes
    31 Mar 2020 às 18:11

    Faz cara de coitadinho, tira selfie e manda pra Bolsonaro que diz ser gripezinha.

Sitevip Internet