Olhar Jurídico

Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Médico suspeito de violência doméstica é posto em liberdade pela terceira vez

Da Redação - Arthur Santos da Silva

03 Dez 2019 - 13:56

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Médico suspeito de violência doméstica é posto em liberdade pela terceira vez
O desembargador Pedro Sakamoto libertou na segunda-feira (2) o médico Emilson Miranda Júnior, de 30 anos, detido inicialmente por determinação da Primeira Vara Especializada de Violência Doméstica de Cuiabá em razão de suposto descumprimento de medida cautelar.

Leia também 
TRF tranca uma das ações em que secretário foi denunciado por lavagem de dinheiro

 
Conforme informado pela defesa, patrocinada pela advogada Joeli Castelli, a prisão ocorreu após uma suposta vítima alegar que Emilson havia tentado se aproximar por duas vezes.

Uma delas, no Fórum de Cuiabá, ficou comprovado que o suspeito estava participando de audiência. Sobre a segunda, informações da tornozeleira eletrônica comprovaram que quem se aproximou foi a suposta vítima.
 
É a terceira liberdade concedida. Na penúltima, Júnior deixou à cadeia no dia 12 de novembro, após passar por uma temporada de dez dias no Centro de Custódia da Capital (CCC).  
 
Em novembro, o médico recebeu uma tornozeleira eletrônica e foi proibido de se aproximar da vítima, que ganhou um botão de alerta.
 
O processo que o levou a prisão está em sigilo. A primeira prisão de Miranda foi registrada em fevereiro de 2019 após agredir sua então companheira e ainda fazer uma série de ameaças.

15 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Emilson Miranda Jr
    05 Dez 2019 às 12:49

    Respeito opinião de cada um, mas a decisão do Desembargador foi acertada e tem que ser respeitada, assim como foi a da juíza Ana Graziela que decretou a prisão. Eu simplesmente não vi a vítima, e fui preso por estar no fórum, lugar público, tendo uma audiência no dia, e a vítima Alline Garcia Haddad se aproveitar disso e registrar um BO para novamente conseguir me ver preso. Ministério público foi contra a prisão, e ficou comprovado quem se aproximou de mim foi ela, então antes de julgarmos, é bom ouvirmos as duas partes.

  • observo
    04 Dez 2019 às 08:08

    Isso e tragedia anunciada...estao esperando ele matar alguem pra manter ele preso.....

  • xomana
    03 Dez 2019 às 22:50

    Vamos aguardar cenas dos próximos capítulos

  • Toniel
    03 Dez 2019 às 21:55

    As decisões judiciais, agora ampara-se em evasivas " A vitima invadiu-se o território do criminoso" kkkkkkk

  • Maria
    03 Dez 2019 às 21:52

    Abre a cela...fecha a cela...Abre a cela...fecha a cela...

  • vicente
    03 Dez 2019 às 19:00

    SAKAMOTO não mais aquela, lala lala lala lala

  • Marlene Alves
    03 Dez 2019 às 18:32

    Por que não? Só porque o homem é abastado, ele não pode se beneficiar da lei? Gente recalcada.

  • JUSTIÇA
    03 Dez 2019 às 17:45

    INTERESSANTE, SOLTAR UM HOMEM DESSE E ME EXPLICA ENTÃO PRA QUE A LEI MARIA DA PENHA?

  • ANTONIO
    03 Dez 2019 às 17:28

    JUSTIÇA!!!!!!!! CARA DE MATO GROSSO, VCE ACREDITA?

  • deovaldo
    03 Dez 2019 às 16:07

    Isso é o reflexo da falência do poder judiciário, até quando soltarão o covarde batedor em mulher, até matar a mulher né.. o cara está solto pela terceira vez e irá bater mais um pouco e ainda será manchete...escreve aí

Sitevip Internet