Olhar Jurídico

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019

Notícias / Civil

Justiça atende pedido de Mauro e adia audiência por simulação de compra de apartamento

Da Redação - Vinicius Mendes

22 Nov 2019 - 08:33

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Justiça atende pedido de Mauro e adia audiência por  simulação de compra de apartamento
A Justiça Federal deferiu um pedido do governador Mauro Mendes (DEM) para que fosse adiada a audiência de instrução, agendada para o próximo dia 27, sobre um processo de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito em decorrência de simulação de empréstimo para a aquisição de um apartamento de luxo em Cuiabá, penhorado em leilão judicial. Foi acolhida a sugestão de Mauro para que a audiência ocorra no dia 5 de dezembro.
 
Leia mais:
Juiz marca audiência em processo contra Mendes que julga simulação para compra de apartamento de luxo
 
Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a ação é resultado de inquérito instaurado em 2013 para apurar a aquisição, em 2011, de um apartamento de luxo por parte da então juíza do Trabalho da 8ª Vara do Trabalho de Cuiabá, Carla Reita Faria Leal.
 
O imóvel havia sido inicialmente adquirido por Mauro Mendes em 2 de dezembro de 2009, em leilão público promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho ao qual a juíza era vinculada. Passado mais de um ano, o apartamento foi repassado para Carla Reita.
 
Uma audiência estava marcada para o próximo dia 27. No entanto, a defesa de mauro entrou com requerimento de redesignação de audiência de instrução e a juíza federal da justiça trabalhista aposentada compulsoriamente por decisão unânime em processo administrativo disciplinar, Carla Reita Faria Leal, requereu a devolução do prazo para apresentação do rol de testemunhas e do prazo para solicitar esclarecimentos. A Justiça acabou deferindo o pedido de Mauro.
 
“Verifico o curto interregno entre a atual data designada para a audiência e a nova data sugerida pelo atual governador do Estado de Mato Grosso - ora demandado -, em 5 de dezembro de 2019, bem como a relevância do fundamento apresentado como justificativa do pedido e a disponibilidade do juízo na realização da audiência na data sugerida. [...] Desta forma, defiro a redesignação da audiência para a data sugerida pelo requerido Mauro Mendes”.
 
Em decorrência do adiamento a Justiça Federal também atendeu aos pedidos de Carla Reita Faria Leal determinando “a devolução dos prazos para: a apresentação do rol de testemunhas, com as respectivas justificativas; e requerimento de esclarecimentos ou ajuste do despacho saneador. Estes deverão ocorrer concomitantemente e no prazo comum de cinco dias”.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Moacir
    22 Nov 2019 às 09:06

    Espero que os 13° não sejam comprometidos com esse pedido.

  • paulo
    22 Nov 2019 às 08:59

    Mauro Mentes é Réu, quem é vagabundo agora?

  • Antônio
    22 Nov 2019 às 08:47

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet