Olhar Jurídico

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Criminal

Alan Malouf atrasa parcelas de R$ 212 mil previstas em acordo de delação premiada

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Out 2019 - 17:40

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Alan Malouf atrasa parcelas de R$ 212 mil previstas em acordo de delação premiada
O empresário e delator premiado Alan Malouf deixou atrasar duas parcelas da restituição prevista em seu acordo de colaboração. A informação consta em relatório produzido pela juíza Ana Cristina Mendes, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá.

Leia também 
PGR cobra informações para saber se Alan Malouf está pagando o que foi combinado em delação


Conforme divulgado, o acordo de delação prevê o pagamento de 10 parcelas de R$ 212 mil. A segunda parcela, que estava prevista para ser paga no dia 31 de dezembro de 2018, foi quitada em 27 de maio de 2019, em valor atualizado de R$ 233 mil.
 
A terceira parcela, prevista para ser paga durante o mês de julho de 2019, consta no relatório de Ana Cistina como ainda pendente. Segundo esclarecimento, em 16 de setembro foi deferido dilação de prazo por mais 60 dias (contando desde a decisão). Ou seja, Malouf tem até o dia 16 de novembro para quitar a terceira parcela.
 
Além dos atrasos constatados, há falta de informações sobre o pagamento da primeira parcela, que era prevista para o dia 31 de julho de 2018. Isto porque apenas no último mês de agosto houve determinação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que Sétima Vara Criminal de Cuiabá gerencie o cumprimento dos termos da delação.
 
“Embora devidamente intimado para comprovar o pagamento da 1ª parcela, para propiciar o escorreito acompanhamento deste Juízo dos termos pactuados, o Colaborador limitou-se a sustentar que efetuou o pagamento de 02 parcelas, a despeito de haver a comprovação de somente 01 delas (a segunda).

Além do que já foi pago ou esta atrasado, mais sete parcelas devem ser pagas entre dezembro de 2019 e dezembro de 2022. 
 
A delação
 
O empresário Alan Malouf se comprometeu a pagar R$ 5,5 milhões como parte do seu acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).
 
Exatos R$ 4 milhões são referentes a multas. Restante, R$ 1,5 milhão será pago como indenização por danos morais pelos crimes cometidos.
 
Do total que Alan Malouf irá pagar aos cofres públicos, R$ 3,3 milhões serão quitados via imóveis de propriedade do delator.

O restante do valor está sendo dividido em 10 prestações. Justamente as prestações que estão sofrendo com atraso.

Outro lado

A defesa de Alan Malouf afirmou ao Olhar Jurídico que não vai se manifestar sobre o relatório produzido pela juíza Ana Cristina. 
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet