Olhar Jurídico

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Eleitoral

Justiça Eleitoral mantém trancado inquérito policial contra secretário de Saúde

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Out 2019 - 10:31

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Gilberto Gomes de Figueiredo

Gilberto Gomes de Figueiredo

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) rejeitou recurso do Ministério Público e manteve decisão em habeas corpus que trancou inquérito policial contra o atual secretário de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Gomes de Figueiredo.
 
Leia também 
Desembargador suspende reintegração de posse e mantém famílias em residencial ocupado


A decisão foi estabelecida durante sessão plenária desta quinta-feira (17) em processo relatado pelo juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior. Votaram com o relator: Sebastião Monteiro da Costa Júnior, Fábio Henrique Rodrigues de Moraes, Jackson Francisco Coleta Coutinho, Sebastião Barbosa Farias, Antônio Veloso Peleja Júnior e Gilberto Giraldelli.
 
A investigação versava sobre supostos crime eleitoral durante o pleito de 2016, quando Gilberto Figueiredo se elegeu vereador em Cuiabá. 

Conforme informações do caso, o inquérito era gerido pelo juízo da 51ª Zona Eleitoral de Mato Grosso. Defesa argumentou que os fatos que embasavam a investigação foram superados por ocasião do julgamento do seu processo de prestação de contas em segunda instância.

Os advogados informaram ainda que a única irregularidade que não restou esclarecida nos autos de prestação de contas não poderia servir de substrato para investigação criminal. A irregularidade seria a falta de prestação de contas de aproximadamente R$ 800 dentro dos quase R$ 300 mil gastos em 2016.
 
No pleito de 2016, Gilberto Figueiredo foi reeleito com 4.299 votos para seu segundo mandato como vereador por Cuiabá. Ele se licenciou da função para comandar a Secretaria Estadual de Saúde (SES) na gestão de Mauro Mendes (DEM) do Poder Executivo. 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aderbal Siqueira
    17 Out 2019 às 14:39

    Esse aí é o novo Pedro Henry. Vai passar a vida inteira sendo investigado. Talvez vai sofrer alguma condenaçãozinha boba aqui e acolá que nunca vai se traduzir em prisão em regime fechado, mas mesmo assim, SEMPRE ocupando cargo público. Por essas e outras esse país é uma piada.

  • garcia Siqueira
    17 Out 2019 às 11:11

    Rapaz a justiça só persegue os que desejam fazer algo em beneficio da população. Os que realmente precisa ser julgado por roubo/corrupção o processo não anda. será por quê?

Sitevip Internet