Olhar Jurídico

Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Ministro prorroga investigação contra conselheiros afastados do Tribunal de Contas

Da Redação - Arthur Santos da Silva

14 Out 2019 - 10:08

Foto: Reprodução

Raúl Araujo, do Superior Tribunal de Justiça

Raúl Araujo, do Superior Tribunal de Justiça

O ministro Raúl Araujo, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acatou pedido do Ministério Público Federal (MPF) e prorrogou por 60 dias inquérito que investiga conselheiros afastados do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT). A mesma decisão negou acesso à colaboração premiada firmada por Micael Heber Mateus.
 
Leia também 
Juíza absolve ex-superintendente do Incra e mais 14 acusados de participação em fraudes de vendas de terras


A decisão foi estabelecida no dia 30 de setembro. O caso, proveniente do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou busca e apreensão em domicílio e deferiu o afastamento cautelar em agosto de 2017 de cinco conselheiros do Tribunal de Contas: José Carlos Novelli, Antônio Joaquim Moraes, Waldir Júlio Teis, Walter Albano da Silva e Sérgio Ricardo de Almeida.
 
Recentemente o ministro Raul Araujo estabeleceu prazo para que haja manifestações das partes antes do julgamento que pode reconduzir cinco conselheiros.
 
As revelações contra os conselheiros inicialmente eram oriundas principalmente do acordo de colaboração premiada do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, na Procuradoria-Geral da República (PGR). O ex-secretário de Casa Civil, Pedro Nadaf, também contribuiu com revelações.
 
Investigação aponta prática dos delitos de corrupção passiva, sonegação de renda, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Inês
    14 Out 2019 às 22:16

    Nojo desse TCE.

  • Gladston
    14 Out 2019 às 21:45

    Se juntar todos não dá meio que preste!

  • deovaldo
    14 Out 2019 às 15:46

    Aguentem mais 60 dias e o retorno de vocês estarão garantidos. Excesso de prazo e não apresentação de provas, mostrando a fragilidade de um sistema que se encontra há muitos anos falido. Não há que se falar em justiça, pois o MP se mostra fragil ao produzir provas.... Ministério Publico Federal Procuradoria federal Não conseguiram enquadrar, calma nobres conselheiros, daqui há 60 dias retornarão aos seus devidos lugares, pois agora não cabe mais anexar novas provas e sim o julgamento se mantem afastados ou retornem imediatamente. P.R.I.c

  • clara
    14 Out 2019 às 12:31

    Deu ruim para eles , é o fim , e ainda estão sendo investigados pelos próprios pares por desvios em contratos com a área de tecnologia de informação , onde vai tem rolo .

  • Crítico
    14 Out 2019 às 10:54

    Esses LARAPIOS tem que serem afastados DEFINITIVAMENTE, vem como ressarcir os cofres publicos

Sitevip Internet