Olhar Jurídico

Terça-feira, 29 de setembro de 2020

Notícias / Eleitoral

Selma Arruda ingressa com recurso para reverter no TSE cassação do mandato

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Ago 2019 - 09:43

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Selma Arruda ingressa com recurso para reverter no TSE cassação do mandato
A senadora Selma Arruda (PSL) recorreu novamente contra sua cassação determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Em preliminar, a parlamentar tenta provar que ocorreu desrespeito às garantias de acesso à ampla defesa e ao contraditório durante julgamento. No mérito, Arruda busca demonstrar que não houve crime durante campanha. O procedimento deve ser examinado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
Leia também 
Tribunal revoga cautelar imposta contra empresário alvo da Bereré por fraudes no Detran


Segundo Selma, houve cerceamento prematura da instrução processual.  A senadora apresentou alegações finais antes da oitiva de uma testemunha por carta precatória.

“Com a máxima vênia, aguardar o retorno de carta precatória não é medida protelatória ou contrária aos princípios que informam o direito eleitoral, mas garantia de que os argumentos da parte que indicou a testemunha podem ser comprovados”, afirmou em trecho do recurso.
 
Ainda conforme a senadora, houve cerceamento de defesa na negativa de perícia no material de campanha produzido. “O acórdão, ao considerar desnecessária a prova pericial requisitada, de forma contraditória presumiu em desfavor da recorrente as conclusões que poderiam advir da sua análise”.
 
Sobre o mérito, Selma argumenta que não houve violação às normas de arrecadação e aplicação de recursos. A senadora afirma ainda que não houve omissão de gastos ou abuso de poder econômico.
 
Após apresentação de contrarrazões do Ministério Público Eleitoral, o recurso, do dia 12 de agosto, assinado pelos advogados Gustavo Bonini Guedes, Cassio Prudente Vieira, Rick Daniel Pianaro e Luiz Paulo Muller, será enviado para julgamento do TSE.
 
Cassação

O TRE-MT, por unanimidade, cassou em abril de 2019 o mandado de Selma e de seus suplentes, Gilberto Eglair Possamai e Clérie Fabiana Mendes, por uso de caixa 2 e abuso de poder econômico nas últimas eleições.
 
Para o TRE, ficou comprovado que a senadora efetuou gastos acima do permitido, o que teria prejudicado o resultado do pleito, bem como pagou por despesas acima de R$ 1,2 milhão com dinheiro paralelo a conta bancária oficial, gerando o caixa 2.
 
Além de cassar o mandato de Arruda, o tribunal ainda determinou a realização de novas eleições, para que seja eleito um novo substituto para o cargo.

No dia 25 de julho o Pleno do TRE acatou parcialmente recurso de embargos de declaração oferecido pela senadora. A decisão em recurso, porém, não foi capaz de mudar o posicionamento final da corte. O Pleno acolheu apenas a tese de que a decisão de cassação apresentava obscuridade e contradição, pois levou em consideração cheque falso de R$ 29,9 mil.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet