Olhar Jurídico

Domingo, 19 de janeiro de 2020

Notícias / Criminal

Irmão de João Emanuel tenta anular três operações: Aprendiz, Assepsia e Castelo de Areia

Da Redação - Arthur Santos da Silva

23 Jul 2019 - 16:52

Foto: Olhar Direto

Irmão de João Emanuel tenta anular três operações: Aprendiz, Assepsia e Castelo de Areia
O advogado Lázaro Moreira Lima, irmão e responsável pela defesa do ex-vereador João Emanuel, comunicou ao Olhar Jurídico nesta terça-feira (23) que está preparando recursos para anular três fases da Operação Aprendiz, mais a Operação Assepsia e Operação Castelo de Areia. Os pedidos têm fundamentos em informações recentes colhidas no caso conhecido como Grampolândia Pantaneira. Segundo depoimento, o ex-político foi alvo de interceptações ilegais a mando do Ministério Público de Mato Grosso (MPE). 

Leia também 
Defesa cita grampos e pede de anulação da Operação Aprendiz, que condenou João Emanuel


Na Operação Assepsia, João Emanuel sofreu condenação por corrupção ativa. Segundo processo, ele tentou comprar decisões judiciais, no valor de R$ 1 milhão, para que fosse colocada em liberdade traficantes da família “Pagliuca”.
 
Na Operação Castelo de Areia, João Emanuel é denunciado por constituição de organização criminosa e estelionato. Consta na denúncia que o acusado praticava golpes milionários por intermédio  das empresa American Business Corporation Shares Brasil Ltda e Soy Group Holdin America Ltda. As referidas pessoas jurídicas atuavam, em tese, no ramo de mercado financeiro com a captação de recursos no exterior, cujas taxas de juros teriam, supostamente, valor inferior ao praticado no Brasil, atraindo, assim, o interesse de investidores, agricultores e empresários.
 
Na Operação Aprendiz, de acordo com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), o então presidente da Câmara Municipal, João Emanuel, estava envolvido em um esquema de falsificação de documentos de terrenos. Os imóveis foram usados em garantia para agiotas na captação de dinheiro para sua futura campanha de Deputado nas eleições em 2014. Segundo o Gaeco, os terrenos seriam pagos aos proprietários com oferta de participação em processos licitatórios fraudados na Câmara Municipal. João Emanuel chegou a ser condenado a 18 anos de prisão, mas teve a pena reduzida para cinco anos em decisão da Terceira Turma do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).
 
Informações da Grampolândia
 
Réu no caso conhecido como Grampolândia Pantaneira, que julga envolvimento de militares em interceptações telefônicas clandestinas, o coronel Evandro Lesco afirmou que depoimento que em 2014 o promotor de Justiça Marco Aurélio de Castro, então chefe do Gaeco, utilizou o esquema de “barriga de aluguel” para interceptar o João Emanuel.
 
Barriga de aluguel é quando uma pessoa não investigada em determinado inquérito tem seu telefone incluído em um pedido de quebra de sigilo. Segundo Lesco, o crime ocorreu justamente no momento em que o ex-presidente do Legislativo municipal foi alvo da Operação Aprendiz.

Argumento

A defesa argumenta que as operações Aprendiz, Assepsia e Castelo de Areia tiveram como base provas colhidas de forma irregular.

O requerimentos, conforme Lázaro, serão oferecidos nos próximos dias.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Marcos Paulo
    23 Jul 2019 às 23:43

    João Emanuel querendo chamar os magistrados de burros!! O tonto do João Emanuel fez te de era do com provas e títulos mais e agrião com argumentinho besta ele tenta achar a os magistrados são burros e corruptos igual ele.

  • Luciano
    23 Jul 2019 às 21:52

    Eu quero e justiça #volta p cadeia ladrão

  • COUTO
    23 Jul 2019 às 21:06

    DR. LÁZARO MOREIRA LIMA, GRANDE CAUSÍDICO

  • Antônio
    23 Jul 2019 às 19:51

    O que esse ladrão ainda quer??

Sitevip Internet