Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

Juiz decreta prisão preventiva de homem que matou e enterrou namorada e ex-mulher em quintal

Da Redação - José Lucas Salvani

14 Mai 2019 - 18:38

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Juiz decreta prisão preventiva de homem que matou e enterrou namorada e ex-mulher em quintal
O juiz Mário Roberto Kono de Oliveira acatou o pedido do delegado Fausto José de Freitas e decretou prisão preventiva de Adilson Pinto Da Fonseca, acusado de matar namorada e ex-esposa, Talissa Oliveira Ormond e Benildes Batista de Almeida. Ele enterrou os corpos no quintal de casa, em Cuiabá.

A busca dos corpos das duas mulheres aconteceu nesta segunda e terça-feira, com os policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e Perícia Técnica (Politec).

Leia mais:
Homem mata e enterra namorada e ex-esposa em quintal de casa em Cuiabá; fotos e videos


Durante a audiência de custódia que aconteceu nesta terça-feira (14), o juiz afirmou que não é possível homologar prisão em flagrante pelo fato de que o crime aconteceu em 2013, mas acata o pedido do delegado, decretando prisão preventiva.

“Neste caso, entendo ser necessário o atendimento do pedido pela imperiosa aplicação da lei penal e para a perfeita instrução do processo. Por tais razões, acolho os pedidos e decreto a prisão preventiva de Adilson Pinto da Fonseca, devendo o mesmo guardar preso o seu julgamento, ou até que o juiz titular na qual o feito for distribuído possa tomar outra decisão”, decreta o juiz.

Adilson da Fonseca é investigado por homicídio e ocultação de cadáver. Nesta segunda-feira, os policiais da DHPP e a Politec fizeram a busca dos corpos de Talissa e Benildes, que estavam desaparecidas desde 2013. Talissa foi dada como desaparecida em julho, enquanto Benildes em dezembro daquele ano.

De acordo com a mãe de Talissa, a vítima havia saído para trabalhar em uma empresa de telefonia, mas não retornou para casa. Segundo seu chefe, ela havia trabalhado no dia do desaparecimento e que tinha um rapaz moreno esperando-a, mas ninguém teria visto Talissa sair com ele. No dia seguinte, Talissa teria ligado para a empresa pedindo socorro e depois não deu mais notícias.

A a ex-mulher de Adilson, Benildes, morava na Espanha e tinha voltado ao Brasil, onde passou cinco meses com a família daqui. Sua filha entrou em contato com a Polícia Federal, que informou não constar sua saída do país.

Os corpos das vítimas foram encontrados no quintal casa de Adilson que, segundo delegado Fausto José de Freitas, teria sido construída com o dinheiro de Benildes. O primeiro corpo fi encontrado graças a um mandado de busca e apreensão a ser cumprido na residência. O segundo corpo foi encontrado após o suspeito confessar que teria enterrado-o também.

“Algumas informações, contradições do suspeito, testemunhas levaram a gente a acreditar que o corpo poderia estar escondido ou até mesmo enterrado no perímetro desta casa. Houve uma testemunha que relatou na época do desaparecimento da primeira, que presenciou uma briga dele com uma menina, com as mesmas características da desaparecida e que ela estava tentando sair da casa, mas ele a arrastou e houve um silêncio, não se ouviu mais nada”, explica o delegado ao Olhar Direto.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet