Olhar Jurídico

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Notícias / Eleitoral

Novo presidente do TRE diz que eleição suplementar para Senado custaria R$ 8 milhões

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

26 Abr 2019 - 17:21

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Novo presidente do TRE diz que eleição suplementar para Senado custaria R$ 8 milhões
Um levantamento preliminar feito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) apontou que uma eleição suplementar para o Senado, caso a juíza aposentada Selma Arruda não consiga reverter sua cassação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), custará cerca de R$ 8 milhões. A informação foi confirmada pelo novo presidente do órgão, desembargador Gilberto Giraldelli.

Leia também
Taques tem registro da OAB deferido e começa a atuar em escritório com ex-secretário


“Minha assessoria já informou agora que é aproximadamente R$ 8 milhões, até porque se tiver necessidade de uma eleição dessa, ela será diferente daquela quando se anula uma eleição municipal. Neste caso, a eleição seria no Estado todo e precisará praticamente mobilizar toda a estrutura e logística, embora seja apenas para um voto, disse o presidente em coletiva de imprensa após sua posse.

Selma teve seu mandato cassado de forma unânime pelo Pleno do TRE, no início do mês de abril. A juíza aposentada já manifestou que irá recorrer tanto no Tribunal mato-grossense, como no Tribunal Superior Eleitoral.

 Sem um plano inicial e recurso para uma nova eleição deste porte, o presidente também afirmou que, caso a cassação da senadora seja mantida, terá que encontrar a solução durante o processo.

“Seria uma leviandade da minha parte eu acabar de sentar na cadeira de presidente e dizer que tem uma preparação para isso. Temos que aguardar o andamento dos recursos, não sei qual serão os recursos utilizados. Mas evidentemente vamos encontrar a solução no curso. É no andar desse caminho que vamos encontrar a solução”, afirmou.

Desde que Selma Arruda foi cassada pelo TER, muitos de seus adversários na eleição passada, como o ex-governador Carlos Fávaro (PSD) e Adilton Sachetti (PRB), terceiro e quarto colocado, já manifestaram o interesse de novamente entrar na disputa.

Outros partidos como o DC e DEM também já afirmaram que podem contar com um candidato próprio, em caso de nova eleição.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria
    27 Abr 2019 às 11:54

    Até parece q esse novo presidente não quer nova eleição! Desde antes de consumar a eleição de 2018 essas denúncias contra a candidata Selma foram feitas. Pq o TRE não tomou atitude nenhuma? Teria evitado ter q gastar novamente pra nova eleição. Parece q brincar c o país, c o dinheiro público virou costume. Vejam quem elegeram pra presidente da República. O homem governa pelo Whatsapp sob o comando da cabeça oca do filho! Essa dona Selma cometeu crimes precisa ser punida ! Q se eleja de verdade um novo senador ou senadora. Fazer o q agora! Se o TRE não tomou atitude antes agora corrija o erro!

  • Mayke
    27 Abr 2019 às 07:45

    Se o tempo verbal foi empregado de forma correta, então não teremos novas eleições devido aos gastos que causaria uma nova eleição. Com esse dinheiro "extra" melhoraríamos o atendimento na saúde, equiparíamos as salas de aula, as creches, levaria recursos àqueles municípios tão longínquos. Tomara que não tenham esse gasto com novas eleições.

  • Mario
    26 Abr 2019 às 22:42

    Não vai ter nova eleição ! Selma arruda vai reverter a condenação no TSE.

  • Ane
    26 Abr 2019 às 22:25

    Acho que o Estado tem que entrar com ação de regresso contra ela, só acho. Só assim, servirá de exemplo para os outros.

  • Isadora Marta
    26 Abr 2019 às 21:55

    Xau querida

  • Gladston
    26 Abr 2019 às 21:00

    Torrar R$ 8.000.000,00 com uma nova eleição? Isso é pior que caixa dois!! Estão tentando tapar um suposto buraco, com um rombo que todos os matogrossenses estão vendo acontecer. Deixem de piada.

  • aann
    26 Abr 2019 às 20:57

    sim mas ela foi primeira colocada com uma grande vantagem a eleição teria que ser para as duas vagas pois esses votos dela poderia ser ao terceiro e quarto colocado... dificilmente o campos venceria...

  • AVANÇA LOGO MT
    26 Abr 2019 às 18:29

    PORQUE UMA ELEIÇÃO CUSTA TÃO CARO NESSE PAÍS MELHOR SERIA DIMINUIR O NÚMERO DE CONGRESSISTAS PELA METADE A BAIXAR OS SALÁRIOS MAIS DA METADE

  • Juracy Ady
    26 Abr 2019 às 17:57

    Não é gasto. É investimento uma nova eleição. Para aperfeiçoamento da nossa democracia. Selma cometeu crimes eleitorais e agora participaremos com sorriso nos lábios de uma nova eleição para a segunda vaga do senado. Parabéns pela cassaçao unânime, TRE.

Sitevip Internet