Olhar Jurídico

Sábado, 17 de agosto de 2019

Notícias / Eleitoral

TRE julga segunda-feira recurso contra cassação de Lucimar, vice e vereador por compra de votos

Da Redação - Vinicius Mendes

12 Abr 2019 - 11:21

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

TRE julga segunda-feira recurso contra cassação de Lucimar, vice e vereador por compra de votos
O julgamento do recurso da prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre Campos (DEM), que teve – em decisão anterior – o diploma cassado, deve ser julgado na próxima sessão do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), na segunda-feira (15).

O processo não foi julgado nesta semana em decorrência do julgamento que resultou na cassação da senadora Selma Arruda (PSL). O relator do recurso de Lucimar é o juiz Jackson Coutinho.
 
Leia mais:
TRE marca julgamento de recurso contra cassação de Lucimar, vice e vereador por compra de votos
 
O processo foi para as mãos do juiz Jackson Coutinho após o término do biênio do relator Ulisses Rabaneda dos Santos. Caso a decisão, pela cassação, seja mantida, Lucimar ainda continuará no cargo, já que terá direito a recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
 
Também sofreram sanções na ação o vice-prefeito, José Aderson Hazama, vereador Benedito Francisco Curvo (Chico Curvo) e Eduardo Abelaira Vizotto. Eles também foram condenados a pagar uma multa de R$ 15 mil.
 
O julgamento estava agendado para a sessão da última quarta-feira (10), mas teve que ser adiado em decorrência do julgamento do processo sobre o suposto caixa 2 e abuso de poder econômico praticados pela senadora Selma Arruda (PSL). A sessão durou o dia inteiro, com início às 9h e conclusão às 17h20, com apenas 1h45 de intervalo. O recurso de Lucimar deve então ser julgado na próxima segunda-feira (15).
 
A cassação
 
A decisão do juiz Carlos José Rondon Luz, da 20ª Zona Eleitoral de Várzea Grande, cassou – em outubro de 2017 - os diplomas e mandatos eleitorais de Lucimar Campos, José Hazama e do vereador Chico Curvo (PSD) em ação de investigação judicial eleitoral, por suposta prática de conduta vedada, captação ilícita de sufrágio e abuso de poder político, apontados pela Coligação “Mudança com Segurança”.
 
Os três ainda foram condenados em R$ 15 mil. Caso a decisão se mantenha, Lucimar e Chico Curvo ainda ficarão inelegíveis por oito anos.
 
Consta no processo que a captação ilícita de votos teria ocorrido através de uma promessa de resolução do problema de abastecimento de água no município, durante uma reunião em setembro de 2016.
 
Os moradores teriam se reunido para discutir a deficiência hídrica nos bairros Parque Del Rey e Portal do Amazonas. Na ocasião, o vereador Chico Curvo teria ressaltado as benfeitorias já realizadas nos respectivos bairros e mencionado as melhorias que seriam feitas em relação à regularização dos títulos de propriedade locais e pavimentação asfáltica caso votassem nele.
 
O presidente do Departamento de Água e Esgoto (DAE), Eduardo Vizotto, também discursou, diz o Ministério Público, destacando a captação de recursos financeiros por parte da prefeitura através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Disse que foram obtidos R$ 450 milhões que seriam aplicados em pavimentação asfáltica, rede de saneamento e esgoto e construção de moradias.
 
Mencionou ainda que providenciaria a perfuração de um poço para atender a demanda de água local, bem como confirmou a distribuição de caminhões-pipa. Para isso, porém, eles iniciariam o serviço, mas precisariam dar continuidade apenas no outro ano, visto que um ano e três meses não foram suficientes para a execução das medidas.

 Em tempo, o MPE manifestou  parecer favorável ao recurso impetrado apontando que houve exagero na condenação.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Revoltado
    15 Abr 2019 às 13:44

    PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA.PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA...PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..PIZZA..

  • CHIRRÃO
    15 Abr 2019 às 13:41

    Se cassaram a SELMA..deveria cassar a prefeita também!!

  • SZA
    15 Abr 2019 às 09:47

    QUEM ADIVINHAR O RESULTADO VAI GANHAR UM DOCE !!!!!! (Esse jogo do poder envolvendo até mesmo o judiciário, nossa esperança de equidade e justiça social, já está nos cansando......)

  • marcelo
    15 Abr 2019 às 08:48

    Maria da Guia , voce nao sabe oque esta falando , ptista.

  • Gladston
    13 Abr 2019 às 21:19

    Fiquemos de olhos abertos com esse tre! A derrota da senadora Selma Arruda se deve muito ao loby de um certo sobrenome político de VG. Sobrenome esse que estará nas mãos do dito orgão para julgamento na próxima sessão da casa, casa essa em que um sobrinho com o mesmo sobrenome, preside.

  • María da Guia
    12 Abr 2019 às 20:25

    Deus é mais tomara que ela sai da prefeitura, não aguento mais esses campos no poder, só escravizam os funcionários, és anos todos sem dignidade e continuaremos sem, se eles continuarem na prefeitura.

  • Rosa Silva
    12 Abr 2019 às 13:02

    Que o julgamento da juizá Selma , seja tão ágil quanto o da prefeita Lucimar. Não temos a minima pressa.

Sitevip Internet