Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Administrativo

Governador assina demissão de ex-secretário da Secopa por crime contra a administração pública

Da Redação - Vinicius Mendes

19 Mar 2019 - 11:16

Foto: Olhar Direto

Governador assina demissão de ex-secretário da Secopa por crime contra a administração pública
O governador Mauro Mendes (DEM) assinou nesta segunda-feira a demissão do ex-secretário extraordinário da Copa do Mundo (Secopa) Maurício Guimarães em decorrência de um processo administrativo disciplinar (PAD) instaurado contra ele, que era servidor público de carreira.

Guimarães foi um dos responsáveis pelas obras da Copa do Mundo de 2014, nas quais teriam sido apontadas algumas irregularidades. O PAD apontou que Maurício cometeu crime contra a administração pública.
 
Leia mais:
MPMT entra com ação contra ex-secretário da Secopa e pede pagamento de quase R$ 300 mi
 
A assinatura foi publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (18). O governador cita que diante do processo administrativo disciplinar instaurado em desfavor de Maurício Souza Guimarães decidiu acolher integralmente o Despacho de Recomendação do Subprocurador-Geral Administrativo e de Controle Interno, e assinou a demissão do ex-secretário.
 
Maurício teria descumprido alguns artigos do Estatuto dos Servidores Públicos. Conforme o artigo 143, o ex-secretário não teria cumprido o dever de: exercer com zelo e dedicação as atribuições do cargo (inciso I); ser leal às instituições a que servir (inciso II); observar as normas legais e regulamentares (inciso III); levar ao conhecimento da autoridade superior as irregularidades de que tiver ciência em razão do cargo (inciso VI); zelar pela economia do material e a conservação do patrimônio público (inciso VII); e manter conduta compatível com a da moralidade administrativa (inciso IX).
 
Já do artigo 144, Maurício Guimarães teria: oposto resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço (inciso IV); valeu-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública (inciso IX); e procedeu de forma desidiosa (inciso XV).
 
Por fim foi verificado que o ex-secretário teria cumprido os requisitos de demissão apontados no artigo 159: crime contra a administração pública (inciso I); improbidade administrativa (IV); e lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio Estadual (inciso X).
 
Operação Descarilho
 
A operação Descarrilho, deflagrada pela Polícia Federal em agosto de 2017, apurou possíveis irregularidades na escolha do modal do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para operar na região metropolitana de Cuiabá. Um dos alvos da operação foi o ex-secretário da Secopa Maurício Guimarães, conduzido coercitivamente.
 
A ação apurou os crimes de fraude a procedimento licitatório, associação criminosa, corrupção ativa e passiva, peculato e lavagem de capitais, em tese ocorridos durante a escolha do modal VLT e sua execução na Capital de Mato Grosso.
 
Durante as investigações, descobriu-se elementos que apontam fundados indícios de acertos de propina com representantes de empresas integrantes do Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, bem como desvio de recursos por intermédio de empresas subcontratadas pelo consórcio.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Daniel
    20 Mar 2019 às 07:41

    Eu estou esperando até hoje a exoneração do Marcel de Cursi, ex-secretário da Sefaz, que foi preso mas ainda trabalhando.

  • ze bote
    19 Mar 2019 às 16:59

    Será que a justiça ira recuperar os bens de srº Mauricio, no momento reside so na alfaville 2 em cuiabá uma mega de uma casa de esquina. Nesse Cuiabá só não cresce o pobre coitado trabalhador...

  • vilson alves
    19 Mar 2019 às 14:46

    É Luizão, que o diga o servidor nº 1 da Prefeitura de Cuiabá, o Mané Paleto.

  • Luizao
    19 Mar 2019 às 13:59

    Tá certo a coisa mais difícil no Brasil é demitir servidor publico. Qualquer país sério ele estava é preso e demitido a muito tempo

  • Cardoso
    19 Mar 2019 às 13:14

    Pelo menos esta Rico. Agora é só curtir.

  • Carmelita Dias Carneiro
    19 Mar 2019 às 13:05

    O Maurício é cria e operador do Carlos Brito. Vai demitir o Brito ou falta coragem.

  • LUIZ
    19 Mar 2019 às 12:43

    Lembro dele na TV, afirmando que as obras seriam entregues em 2013, depois 2014, bem antes da copa, e depois.... finalmente puniram o pinóquio.

Sitevip Internet