Olhar Jurídico

Quarta-feira, 22 de maio de 2019

Notícias / Eleitoral

Homem pode pegar um ano de prisão por vender camisetas de Bolsonaro em frente à Havan nas eleições

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Jan 2019 - 10:01

Foto: Ilustração / De Olho News

Homem pode pegar um ano de prisão por vender camisetas de Bolsonaro em frente à Havan nas eleições
O juiz em substituição Jeverson Luiz Quinteiro, do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), recebeu uma denúncia do Ministério Público Eleitoral contra um vendedor autônomo, identificado como R.S.P., que foi flagrado no dia 28 de outubro de 2018 vendendo camisetas, bandeiras e adesivos do então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), em frente a uma loja da Havan em Cuiabá.

Neste dia foi realizado o segundo turno das eleições e por causa disso esta prática configura crime eleitoral. A pena pode chegar a um ano de prisão.
 
Leia mais:
Bolsonaro recebeu mais de 200 mil votos na capital e só perdeu em 19 municípios de MT
 
O vendedor foi preso por volta das 9h25 do dia 28 de outubro de 2018, após uma promotora  o flagrar vendendo camisetas, bandeiras e adesivos de Jair Bolsonaro em frente à loja da Havan da Avenida do CPA, em Cuiabá.
 
O material foi apreendido e o homem conduzido à delegacia. Em depoimento ele confirmou a comercialização dos produtos, mas disse que não tinha conhecimento da natureza ilícita da atividade.
 
“Quanto à denúncia, apura-se que a materialidade encontra-se satisfatoriamente demonstrada pelos elementos de prova constantes dos autos. O mesmo se observa em relação aos indícios de autoria, materializada na confissão livre e espontânea do denunciado e no testemunho dos que o conduziram”, argumentou o juiz.
 
O juiz analisou as manifestações do Ministério Público e recebeu a denúncia contra o vendedor autônomo. A pena para este crime pode ser de detenção, de seis meses a um ano, ou prestação de serviços à comunidade e multa no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil. A audiência deve ser realizada no próximo dia 14 de fevereiro, no Fórum de Cuiabá.

25 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Cidadão correto
    13 Jan 2019 às 08:34

    Bandido bom é bandido PRESO!!! Lei foi feita pra ser cumprida. Acabou o jeitinho brasileiro Ele que procure um emprego honesto.

  • Ricardo
    13 Jan 2019 às 01:30

    Nossa que trabalho fantástico, prenderam um vendedor de camisas com o rosto de bolsonaro, e a campanho dos políticos será que esta tendo o mesmo rigor de investigaçao?

  • Juliano
    12 Jan 2019 às 18:29

    Atitude corretíssima por parte do juíz! Essa lei existe por razões justas e esse vendedor tentou mais uma vez recorrer ao “jeitinho brasileiro” que é um dos principais motivos para o Brasil ser e

  • Bea
    11 Jan 2019 às 21:41

    Tá certo mesmo, Vendeu droga tem que ser preso mesmo.

  • Ana Paula
    11 Jan 2019 às 20:51

    Uma vergonha o juiz Jeverson querer condenar uma pessoa que estava trabalhando, sim, crime é crime desde que todas as leis fossem cumpridas. Em nosso país existe inversões de valores. Pobre é preso por qualquer coisa. Assassino, traficantes e colarinhos brancos continuam soltos. Vergonha é as leis do nosso país.

  • Pedro
    11 Jan 2019 às 17:42

    Pelo que eu entendi ele não deu camisetas....estava vendendo... Essa estampa é um sucesso. Isso é mimimi de esquerdista que perdeu a teta.

  • celina
    11 Jan 2019 às 15:05

    juiz em substituição Jeverson Luiz Quinteiro, VAI CAÇAR O QUE FAZER, VAI PRENDER OS CORRUPTOS NA ELEIÇÃO, TENHA VERGONHA E DEIXA UM HOMEM HONESTO EM PAZ. VAI QUERER FAZER NOME EM CIMA DE POBRE?

  • joaoderondonopolis
    11 Jan 2019 às 14:37

    Vendedor de camiseta com a cara do Bolsonaro, querem demonstrar que em MT tem justiça, camisetas foram vendidas em todo país e não ouvir dizer sobre a proibição. MT saiu na frente, que vergonha! Num país de 15 milhões de desempregados, uma oportunidade de ganhar um dinheiro foi esta. Pessoal do site apague esta notícia, pois tenho vergonha de uma coisa desta saber em outro estado.

  • Pedrin
    11 Jan 2019 às 14:21

    Corretíssimo! O homem praticou crime eleitoral. Não me venham com esse papo de que "Tadinho, era só um vendedor buscando o seu ganha pão". Se vocês acham que é Ok descumprir as leis neste país, eu não acho. E depois não quero ler mimimi em matérias sobre crimes, pedindo prisão de outros bandidos e tal. Crime é Crime, seus vacilões!

  • jones
    11 Jan 2019 às 14:19

    Trabalhando para viver e foi preso. Pior esses bandidos que roubam e matam. Reverta a pena em serviços comunitários.

Sitevip Internet