Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Administrativo

CGE e Sefaz processam 12 empresas em R$ 19 milhões por propinas a agentes públicos

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

06 Ago 2018 - 14:05

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Silval Barbosa

Silval Barbosa

A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) instauraram processo administrativo com base na Lei Anticorrupção (Lei Federal 12.846/2013), para apurar a responsabilidade de 12 empresas do setor sucroalcooleiro no suposto pagamento de R$ 19,1 milhões de propina a agentes públicos estaduais e a terceiros, durante os anos de 2010 a 2015.

Leia mais:

Prefeitura de Cuiabá é processada em R$ 3,3 milhões por autorizar residencial em APP

Conforme a CGE-MT, as empresas teriam como objetivo obter benefícios ilegais de redução da carga tributária do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) em Mato Grosso. O processo de responsabilização foi aberto por meio da Portaria Conjunta 369-11/2018/CGE-COR/Sefaz, publicada no Diário Oficial do dia 03 de agosto.

O processo baseia-se em indícios de autoria e materialidade extraídos da colaboração premiada do ex-governador Silval Barbosa, declarações feitas nas oitivas realizadas em janeiro deste ano na sede da CGE e de inquéritos concluídos e em andamento compartilhados pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pela Delegacia Fazendária (Defaz).

Ao final do processo de responsabilização, e depois de assegurados a ampla defesa e o contraditório, uma das eventuais penalidades é a aplicação de multa de até 20% do faturamento bruto das empresas no exercício anterior ao da instauração do processo, além de reparação integral dos danos causados à administração pública.

Outras sanções administrativas podem ser: restrição ao direito de participar de licitações e de celebrar contratos com a administração pública, bem como publicação de eventual condenação na sede e no site das próprias empresas e em jornal de grande circulação local e nacional.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • AVANÇA LOGO MT
    06 Nov 2018 às 12:55

    SE HOUVESSE SUPERVISÃO NOMEANDO A SOCIEDADE E MAIS TRANSPARÊNCIA ESSES ÓRGÃOS NÃO SERIAM USADOS PARA TANTA CORRUPÇÃO !!

  • Marcos R. Tizianel
    06 Ago 2018 às 18:07

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet