Olhar Jurídico

Segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Notícias / Empresarial

Com dívidas de R$ 9 milhões, empresa de embalagem entra em recuperação judicial

Da Redação - Lázaro Thor Borges

14 Mar 2017 - 09:45

Foto: Google Maps

Com dívidas de R$ 9 milhões, empresa de embalagem entra em recuperação judicial
O Grupo Ribeiro Embalagens, formado por quatro empresas do ramo de comercialização de embalagens que atua em Várzea Grande, teve pedido de recuperação judicial deferido pela Justiça. A decisão foi publicada na segunda-feira (13), no Diário de Justiça Eletrônico. A empresa tem R$ 9.758.712,64 em dívidas.

Leia mais:
Justiça mantém recuperação judicial de R$ 241 milhões de agroindústria mato-grossense


De acordo com o pedido, os problemas do grupo empresarial começaram nos anos de 2014 e 2015 por conta, principalmente, da crise econômica que atingiu o país.

“Os itens comercializados pelo grupo, tidos como ‘supérfluos’, foram os primeiros a serem dispensados da lista dos consumidores, resultando no recuo das vendas, na queda de faturamento e enorme índice de inadimplência de seus clientes”, diz trecho do pedido.
 
Por conta da crise, as empresas tiveram de contrair empréstimos junto a instituições financeiras para “manter as contas em dias”. Em paralelo, o grupo também demitiu funcionários e dispensou prestadores de serviço. Mas o déficit não foi sanado e as dívidas se mantiveram, o que obrigou os administradores a entrarem com o pedido na Justiça.
 
Decisão
 
Ao analisar o pedido, o juiz substituto Luiz Otávio Pereira Marques da 4ª Vara Cível de Várzea Grande, modificou o valor da causa, anteriormente estipulado em R$ 100 mil e corrigiu o valor como correspondente ao montante de dívida, que é de R$ 9 milhões.
 
“Assim, AUTORIZO o parcelamento da taxa e custa judiciária inicial em 06 parcelas mensais, devendo a primeira ser efetivada até o dia 10.03.2017 e as demais nos meses subsequentes em igual data”, determinou o magistrado.
 
Em particular ao pedido, o juiz estabeleceu o prazo de 60 dias para que as empresas apresente o plano de recuperação. Além disso, o grupo também deverá fornecer a lista de credores e os valores de cada dívida discriminados.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Amigo dos embalageiros
    14 Mar 2017 às 23:02

    Muito triste! Sou fornecedor do Grupo e estão com algumas pendencias junto à minha indústria... Isso acontece, infelizmente! Grande Vilão é nosso governo com esses impostos altíssimos... Embalagem, só de IPI, gira em média de 15% sobre o valor do produto. Fora ICMS, ISSQN e etc... E cadê o retorno desses imposto que obrigatoriamente precisam ser pagos?? A Av da Feb está deplorável, Perigosíssima e ninguém faz nada! Feb é só uma agulha no palheiro. Cadê os prefeitos recem eleitos? Sumiram tudo!!!

  • ludeney queiroz
    14 Mar 2017 às 14:53

    não era só tirar o PT....os COXINHAS....enfiaram as panelas aonde no..

  • Zé Guaporé
    14 Mar 2017 às 11:00

    Mais um para a conta o PT e sua catrefa!

Sitevip Internet