Olhar Jurídico

Domingo, 25 de agosto de 2019

Notícias / Cursos e Concursos

Desembargador nega liberdade a Marcel de Cursi e descarta nova oitiva de delator premiado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

25 Jul 2016 - 18:28

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargador nega liberdade a Marcel de Cursi e descarta nova oitiva de delator premiado
O desembargador Alberto Ferreira de Souza, da segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, negou três habeas corpus protocolizados pelo ex-secretário de Fazenda, Marcel de Cursi. Os procedimentos buscavam pela liberdade do réu e uma nova oitiva do delator premiado no caso (Sodoma), João Batista Rosa. As decisões foram estabelecidas nesta segunda-feira (25).

Leia mais:
Advogado traça ligação entre Seduc e autarquia federal para TJ decretar fim da Rêmora e soltar Permínio

Dois dos Habeas corpus foram interpostos pelo advogado Roberto Tardeli, que deixou a defesa de Cursi na última semana. Nas peças, Tardeli argumentou sobre um excesso de prazo e a necessida de uma nova oitiva de Rosa, visto que, segundo defesa, o delator relatou fatos contrários em seus depoimentos.

A terceira peça, impetrada pelo advogado Fernando Monteiro, também levantava a tese sobre um suposto constrangimento ilegal. Negados, os três procedimentos serão julgados pelo colegiado da Câmara.

O ex-secretário foi preso preventivamente pela “Operação Sodoma”, no dia 15 de setembro. A detenção foi revogada no Supremo, porém, um segundo mandado havia sido expedido, na segunda fase da mesma operação, pela magistrada de piso, Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá.

Os fatos levantados pela operação apontam que Silval Barbosa, ex-governador no posto de líder da organização criminosa, moldou o Poder Executivo para que agentes públicos praticassem crimes de concussão, fraude a licitação, corrupção passiva, fraude processual, lavagem de dinheiro e extorsão.

Além do ex-governador e Cursi, foram denunciados pela Sodoma: o ex-prefeito de Várzea Grande, Wallace dos Santos Guimarães; os ex-secretários de Estado, Pedro Jamil Nadaf, José Jesus Nunes Cordeiro, César Roberto Zílio e Pedro Elias Domingues; o filho do ex-governador, Rodrigo da Cunha Barbosa; o ex-deputado estadual José Geraldo Riva; Silvio Cezar Correa Araújo, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, Karla Cecília de Oliveira, Tiago Vieira de Souza, Fábio Drumond Formiga, Bruno Sampaio Saldanha, Antonio Roni de Liz e Evandro Gustavo Pontes da Silva.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • José
    01 Set 2016 às 07:20

    Valeu a pena Secretário?

  • Pirmo Neto
    01 Set 2016 às 05:52

    Os magistrados do Brasil estão de parabéns! A justiça tem que ser para todos. Confesso que jamais pensei que pessoas poderosas não iriam para cadeia contudo a justiça, através do Ministério Público, estou colocando no cárcere corruptos que lesaram o Estado e o dinheiro do povo.

  • Larissa
    26 Jul 2016 às 09:05

    Graças ao Des. Alberto Ferreira esses elementos que quebraram nosso estado permanecem presos. Mato Grosso se orgulha de pessoas como o senhor doutor!

  • abel
    26 Jul 2016 às 08:41

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Joao de Rondonópolis
    25 Jul 2016 às 20:38

    Rapaz único geito de sair e o advogado do Eder Moraes homem condenado a 69 anos e ainda esta solto deve ta ganhando muito dinheiro..

Sitevip Internet