Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Cursos e Concursos

MPF pede anulação de concurso da UFMT em que candidatos foram identificados na folha de resposta

Da Redação - Lázaro Thor Borges

04 Mai 2016 - 09:34

Foto: Reprodução

Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

O Ministério Público Federal no Mato Grosso (MPF) ajuizou ação civil pública contra a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) para anular a fase da prova escrita de um concurso público para contratação de professores em que os candidatos foram instruídos a escreverem seus nomes na folha de respostas.

Leia mais: 
Gravação do MPE flagra empresário oferecendo licitações milionárias da Seduc; confira trechos

Segundo o MPF, ao agir dessa forma a UFMT teria ignorado vários princípios da Administração Pública uma vez que a identificação do candidato pode favorecer ou prejudicar o participante do concurso. De acordo com o MPF, a recomendação por parte da instituição impede que os candidatos recebam avaliação idônea, baseada exclusivamente no mérito.

O MPF pediu a concessão de tutela provisória para que a UFMT não pratique novos atos referentes ao concurso, e a suspensão inclusive da posse dos candidatos aprovados. Nos demais concursos, a instituição deve adotar sistema em que os candidatos não sejam identificados de qualquer forma nas provas objetivas e escritas pelos examinadores em todos os concursos elaborados por ela.

Foi requerida também multa equivalente a R$ 50 mil para cada edital ou fase de prova escrita realizados posteriormente e que sejam violadores da decisão, além de multa diária de R$ 5 mil para cada dia em que a UFMT deixe de cumprir a decisão judicial.

Novos procedimentos foram instaurados para averiguar outras irregularidades ocorridas no mesmo concurso e poderão ser objeto de futuras recomendações.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ornitologo
    04 Mai 2016 às 17:35

    Se a moda pega também o professor não vai poder solicitar que o aluno escreva seu nome em uma prova.... assim, depois de corrigidas as provas, as notas serão distribuidas por sorteio sob a fiscalização e vigilancia do MPF.....

Sitevip Internet