Olhar Jurídico

Sábado, 14 de dezembro de 2019

Notícias / Empresarial

MPF investiga irregularidades no curso de Engenharia Civil da faculdade Anhanguera em Cuiabá

Da Redação - Lázaro Thor Borges

27 Abr 2016 - 15:40

Foto: Reprodução

Procuradoria da República em Mato Grosso

Procuradoria da República em Mato Grosso

A Procuradoria da República em Mato Grosso instaurou inquérito civil para apurar irregularidades praticadas pela Faculdade Anhanguera em Cuiabá. Segundo a portaria n° 47, assinada por Cleber de Oliveira Tavares Neto, o inquérito vai apurar irregularidades do curso de Engenharia Civil.

Leia mais: 
Justiça autoriza que lobista de esquema na Assembleia de Mato Grosso more em SP após deixar prisão

O curso não é presencial e a Anhanguera conta com apenas duas unidades em Cuiabá. A Faculdade pertence ao grupo Anhanguera Educacional, que em julho de 2014 se fundiu com a Kroiton Educacional e se tornou a segunda maior empresa privada de educação profissional no Brasil.

O curso a distância de Engenharia Civil da Faculdade tem cinco anos de duração e uma das sedes da universidade fica na Avenida Fernando Correia da Costa, no bairro Areão em Cuiabá.

Segundo a portaria, o inquérito foi instaurado pela procuradoria visando assegurar proteção de direitos e interesses coletivos, como preceitua o artigo 129 da Constituição. Conforme o procurador Cleber Tavares, a portaria também foi aberta considerando a “complexidade do caso” e a necessidade de diligências.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Wandreveidiçon
    28 Abr 2016 às 09:44

    Extagil? Agora vi que a faculdade forma "excelentes profissionais"!!

  • povo
    27 Abr 2016 às 20:27

    Acho que estes engenheiros estão por detrás das obras da copa, não é admissível que um engenheiro habilitado, seja capaz de executar estas aberrações que estão espalhadas pela nossa cidade.

  • Andressa
    27 Abr 2016 às 18:14

    Pelo amor de Deus ne, que matéria ridícula e sem fundamento

  • Marcia ferreira da paz Alcântara
    27 Abr 2016 às 17:16

    Sou aluna nesta faculdade e sou de outro curso mais estarmos com o mesmo problema. Tavez muito pior. Estão. Formando alunos sem extagil. Do serviço social um absurdo. Porque a faculdade não tem convênio com o município. E como fica a situação dos alulos. E verdade sim as cobranças indevidas também acontece.

Sitevip Internet